Orgão Oficial

CBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

AHEAD OF PRINT
Ano 2018 - Volume 45 Número 5
Setembro / Outubro


Português

Capa

English

Capa

VERSÃO EM E-BOOK

Ano 2017 - Volume 44 Número 5
Setembro / Outubro


Português

Capa

English

Capa

VERSÃO EM E-BOOK

Indexada em:

Apoio:

Editorial

Cirurgia de alta tecnologia: desafios a enfrentar

Challenges in high technology surgery

Mauro Pinho, TCBC-RJ

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):426-427


Artigo Original

Esofagectomia vídeo-tóraco-laparoscópica com tempo torácico em posição pronada

Thoraco-laparoscopic esophagectomy: thoracic stage in prone position

Carlos Bernardo Cola, TCBC-RJ; Flávio Duarte Sabino, TCBC-RJ; Carlos Eduardo Pinto, TCBC-RJ; Maria Ribeiro Morard, TCBC-RJ; Pedro Portari Filho, TCBC-RJ; Tereza Guedes

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):428-434

Resumo

OBJETIVO: analisar a experiência inicial do Serviço de Cirurgia Abdomino-Pélvica do Instituto Nacional de Câncer (INCA/MS/HC I) na esofagectomia vídeo-tóraco-laparoscópica com tempo torácico pronado.
MÉTODOS: estudo de 19 esofagectomias vídeo-tóraco-laparoscópicas realizadas de maio de 2012 a agosto de 2014, em dez pacientes portadores de carcinoma epidermoide esofágico (cinco do 1/3 médio e cinco do 1/3 inferior) e em nove portadores de adenocarcinoma da cárdia (seis Siewert I e três Siewert II). Todas as cirurgias foram iniciadas pelo tempo torácico em posição pronada, com mínima perda sanguínea, adequada visualização das estruturas mediastinais, radicalidade oncológica e sem conversões.
RESULTADOS: a morbidade cirúrgica foi de 42%, sendo a maioria complicações menores (58% Clavien I ou II). A complicação mais comum foi a fístula cervical em sete casos (37%), com baixa incidência de estenose anastomótica (duas estenoses: 10,53%). Houve um óbito (5,3%), relacionado a uma fístula mediastinal do tubo gástrico, tratada com reoperação e exteriorização cervical. As medianas de permanência em Centro de Terapia Intensiva e hospitalar foram respectivamente dois e 12 dias. A mediana do tempo vídeo-toracoscópico foi de 77min. Treze pacientes (68.4%) receberam tratamento neoadjuvante (cinco portadores de carcinomas epidermoides e oito de adenocarcinomas cárdia). A amostragem linfonodal média foi de 16,4 linfonodos por paciente e 22,67 quando analisados isoladamente os casos que não receberam tratamento neoadjuvante.
CONCLUSÃO: a técnica vídeo-tóraco-laparoscópica se mostrou método seguro no tratamento cirúrgico do câncer do esôfago e proporcionou boa amostragem linfonodal em nossa casuística inicial.


Palavras-chave: Esofagectomia. Decúbito Ventral. Toracoscopia. Neoplasias Esofágicas.

Fatores prognósticos do câncer de mama e sobrevida global em cinco e dez anos na cidade de Goiânia, Brasil: estudo de base populacional

Prognostic factors and overall survival of breast cancer in the city of Goiania, Brazil: a population-based study

Ruffo de Freitas Júnior, TCBC-GO; Rodrigo Disconzi Nunes; Edesio Martins; Maria Paula Curado; Nilceana Maya Aires Freitas; Leonardo Ribeiro Soares; José Carlos Oliveira

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):435-443

Resumo

OBJETIVO: analisar a sobrevida global e os fatores prognósticos de mulheres com câncer de mama na cidade de Goiânia.
MÉTODOS: estudo observacional, retrospectivo, transversal, que incluiu mulheres portadoras de neoplasias malignas da mama identificadas pelo Registro de Câncer de Base Populacional de Goiânia. As variáveis estudadas foram: idade ao diagnóstico, tamanho do tumor, estadiamento, comprometimento dos linfonodos axilares, grau tumoral, extensão da doença, receptores hormonais e oncoproteína c-erb-B2. Foram realizadas análises de sobrevida global, de cinco e de dez anos.
RESULTADOS: foram incluídas no estudo 2273 pacientes, com sobrevida global em cinco anos de 72,1% e de 57,8% em dez anos. Na análise multivariada ajustada pelo tamanho do tumor, os fatores que influenciaram o prognóstico foram: linfonodos axilares, grau histológico, receptor de progesterona, c-erb-B2, estadiamento T e extensão da doença.
CONCLUSÃO: a sobrevida global em dez anos está abaixo da observada em outros países, e possivelmente reflete o que acontece com a maioria da população brasileira. Os fatores prognósticos encontrados nesta população seguem o mesmo padrão internacional.


Palavras-chave: Neoplasias da mama. Epidemiologia. Sobrevida. Prognóstico.

Perfil epidemiológico e tratamento de perdas de substância por trauma em membros inferiores

Epidemiological profile and treatment of substance losses by trauma to the lower limbs

Ricardo Barros Martins Rezende; Jefferson Lessa Soares de Macedo, TCBC-DF; Simone Corrêa Rosa; Fernando Soares Galli

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):444-451

Resumo

OBJETIVO: avaliar o perfil epidemiológico, o tratamento cirúrgico e os resultados pós-operatórios de pacientes com feridas complexas traumáticas de membros inferiores.
MÉTODO: estudo retrospectivo dos pacientes com ferimentos complexos traumáticos tratados pelo Serviço de Cirurgia Plástica de um hospital regional de Brasília. Foram analisados os dados clínico-epidemiológicos, o tipo de procedimento cirúrgico e a recuperação funcional do membro após seis meses do tratamento.
RESULTADOS: foram tratados 119 pacientes, com média de idade de 29 anos, predominantemente homens (76,4%). O acidente moto ciclístico foi responsável pela maioria das lesões, em 37,8% dos casos. O tratamento cirúrgico mais realizado foi o enxerto de pele (62,1% dos casos), seguido pelo retalho fascio-cutâneo (21,9%), o retalho muscular (12,6%) e o retalho microcirúrgico (3,4%). Seis meses após a conclusão do tratamento cirúrgico, 35,3% dos pacientes necessitavam de muletas para se locomover, caracterizando um atraso na recuperação funcional do membro que, no entanto, estava relacionado significativamente à presença de fratura, de fixador externo ou de exposição óssea no pré-operatório.
CONCLUSÃO: o perfil do paciente com ferida complexa traumática de membros inferiores foi homem, vítima de acidente motociclístico e o enxerto foi o tratamento mais utilizado. O trauma ortopédico com fratura óssea, exposição óssea e a presença de fixador externo estiveram associados significativamente a um maior risco de prejuízo funcional do membro com necessidade de muletas para locomoção após seis meses de tratamento.


Palavras-chave: Extremidade Inferior. Ferimentos e Lesões. Retalhos Cirúrgicos. Cirurgia Plástica. Perfil de Saúde.

Avaliação do uso de fator de transferência na resposta imunológica de pacientes cirúrgicos imunodeprimidos

Use of transfer factor in immunosuppressed surgical patients

Celia Regina Oliveira Garritano, TCBCRJ; Francesco di Nubila; Renata M. Couto; Rossano Kepler Alvim Fiorelli, TCBC-RJ; Luciana Berti Aun

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):452-456

Resumo

OBJETIVO: avaliar a ação do Fator de Transferência na resposta imunológica de pacientes portadores de neoplasia maligna submetidos à cirurgia, quimioterapia e radioterapia.
MÉTODO: análise das variações dos valores dos leucócitos, linfócitos totais, linfócitos T e CD4 em 60 pacientes submetidos à imunoestimulação com Fator de Transferência administrado em dose única de 0,5mg por via sublingual, diariamente e iniciada simultaneamente à quimioterapia e/ou radioterapia.
RESULTADOS: houve um aumento no número de todas as linhagens celulares estudadas que foi mais acentuada após 12 meses de uso da medicação. A análise estatística realizada com o software Graph Pad Instat, testadas pelo método Kolmogorov and Smirnov, mostrou que os resultados foram significativos.
CONCLUSÃO: o Fator de Transferência restabeleceu a resposta imune e não apresentou efeitos colaterais.


Palavras-chave: Fator de Transferência. Imunidade Celular. Invasividade Neoplásica.

Efeitos do dimetilsulfóxido e da pentoxifilina na vitalidade de retalhos cutâneos em ratos

Effects of dimethylsulfoxide and pentoxifylline in the vitality of cutaneous flaps in rats

Stephanie Luzia da Costa Pedretti; Cícero de Lima Rena, ECBC-MG; Maria Christina Marques Nogueira Castãnon; Ana Paula do Nascimento Duque; Fernando Henrique Pereira; Tarcizo Afonso Nunes

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):457-464

Resumo

OBJETIVOS: verificar a influência do dimetilsulfóxido e da pentoxifilina na vitalidade e no processo de reparo tecidual de retalhos cutâneos em ratos.
MÉTODO: foram estudados 30 ratos Wistar, nos quais foi confeccionado retalho cutâneo dorsal de 2cm de largura por 8cm de comprimento, de base caudal, e distribuídos em três grupos: Grupo Controle (n=10) com aplicação de gaze umedecida com solução salina a 0,9%, no leito do retalho, por 30 segundos; Grupo dimetilsulfóxido (n=10) com injeção de 1ml de dimetilsulfóxido a 5% divididos em cinco injeções de 0,2ml na transição dos segmentos do retalho; Grupo pentoxifilina (n=10) com injeção de 1ml pentoxifilina 20mg/kg, divididos em cinco injeções de 0,2ml na transição dos segmentos do retalho. Os fármacos foram administrados no transoperatório, em dose única e por via subcutânea. Os retalhos cutâneos foram observados quanto às alterações de cor e textura. No décimo dia de pós-operatório aferiu-se a dimensão do tecido viável e de necrose, seguido da exérese da peça para análise histológica.
RESULTADOS: a medida da dimensão de tecido viável e de necrose dos grupos não apresentou diferenças. A análise histológica mostrou que o grupo dimetilsulfóxido apresentou neovascularização, infiltrado inflamatório com leucócitos e estroma conjuntivo mais estruturado. O grupo pentoxifilina, mostrou neovascularização e infiltrado inflamatório com granulação moderada e intensa. O grupo controle evoluiu com maior índice de necrose no segmento distal.
CONCLUSÃO: dimetilsulfóxido e pentoxifilina influenciaram na vitalidade do retalho e no processo de reparo tecidual. Entretanto, não evitaram a necrose macroscopicamente.


Palavras-chave: Cicatrização. Dimetil Sulfóxido. Pentoxifilina. Ratos. Retalhos Cirúrgicos.

Cirurgia no câncer de cólon em pacientes operados de emergência

Colon cancer surgery in patients operated on an emergency basis

Rodrigo Felippe Ramos, TCBC-RJ; Lucas Carvalho Santos dos-Reis; Beatriz Esteves Borgeth Teixeira; Igor Maroso Andrade; Jaqueline Suelen Sulzbach; Ricardo Ary Leal, TCBC-RJ

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):465-470

Resumo

OBJETIVOS: estudar o perfil epidemiológico de pacientes com câncer colorretal operados em caráter de urgência no Hospital Federal de Bonsucesso.
MÉTODOS: estudo retrospectivo de pacientes operados entre janeiro de 1999 e dezembro de 2012. Foram analisadas as seguintes variáveis: idade, sexo, dados clínicos, estadiamento TMN, localização do tumor, sobrevida e tipos de cirurgia.
RESULTADOS: foram avaliados 130 pacientes no período do estudo. O quadro clínico mais observado foi a obstrução intestinal, em 78% dos casos. Perfuração intestinal foi a indicação cirúrgica em 15%. A maior parte (39%) dos pacientes apresentava estadiamento TNM avançado da doença, contra 27% em estágio inicial. Houve 39 óbitos (30%) documentados no período. A localização mais comum da doença foi no cólon sigmoide (51%), seguido do cólon ascendente (16%). A intenção curativa foi realizada na maioria dos casos, sendo o tratamento adjuvante realizado em 40% dos pacientes. Metástases à distância foram encontradas em 42% dos pacientes e 10% apresentaram recidiva documentada da doença. A sobrevida livre de doença em dois e cinco anos foi de 69% e 41% respectivamente.
CONCLUSÃO: houve alta mortalidade e baixa sobrevida em pacientes com câncer colorretal operados de urgência.


Palavras-chave: Neoplasias Colorretais. Obstrução Intestinal. Perfuração Intestinal. Cirurgia Colorretal. Emergências.

Desenvolvimento de modelo treinamento em cirurgia laparoscópica com utilização de smartphone

Development of a laparoscopic training model using a smartphone

André Takashi Oti; Lucas Nascimento Galvão, AcCBC-PA; Thyago Cezar Prado Pessoa; Camylla Rodrigues de Oliveira Rocha; Andrew Moraes Monteiro; Mauro José Pantoja Fonteles; Marcus Vinicius Henriques Brito, TCBC-PA; Edson Yuzur Yasojima, TCBC-PA

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):471-475

Resumo

OBJETIVO: desenvolver modelo de treinamento em vídeo-cirurgia, de baixo custo e que utiliza smartphone como fonte geradora de imagem.
MÉTODOS: foi desenvolvida uma caixa de treinamento em formato hexagonal de 38cm de altura, 40cm de largura e 40cm de comprimento e com abertura na região frontal de 12x8 cm para acoplamento do smartphone. A iluminação interna é feita com lâmpadas de LED e para o suporte do smartphone foi utilizado um selfiestick, fixado na parte superior da caixa, que permite controle de altura, distância, angulação, e possibilita acoplamento de aparelhos com diferentes formatos. Foram selecionados 20 alunos de graduação, sem treinamento prévio em vídeo-cirurgia, que realizaram quatro exercícios na caixa com aferição do tempo e quantidade de erros na execução das tarefas. Cada aluno realizou o treinamento durante três semanas consecutivas. Os dados foram coletados em planilhas e analisados posteriormente.
RESULTADOS: dezenove alunos concluíram o treinamento, com melhora significante nos tempos e na quantidade de erros.
CONCLUSÃO: o modelo desenvolvido mostrou-se viável e promoveu a aquisição de habilidades neste grupo de alunos. Além disso, apresenta baixo custo, é portátil e utiliza equipamento comum, como smartphones.


Palavras-chave: Cirurgia. Treinamento. Educação Médica.

Influência do cólon na regeneração do fígado de ratos submetidos à hepatectomia e colectomia

Influence of the colon in liver regeneration of rats submitted to hepatectomy and colectomy

Marília Carvalho Moreira; Ítalo Medeiros Azevedo; Cláudia Nunes Oliveira; Aldo da Cunha Medeiros, ECBC-RN

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):476-481

Resumo

OBJETIVO: avaliar se a colectomia, associada à hepatectomia 70%, influencia a regeneração do fígado em ratos.
MÉTODOS: foram utilizados 18 ratos Wistar distribuídos em três grupos de seis animais cada. No grupo I (sham) foi realizada laparotomia; no grupo II colectomia + hepatectomia 70%; no grupo III apenas hepatectomia 70%. No sexto dia pós-operatório foi colhido sangue por punção cardíaca, sob anestesia, seguido de eutanásia. Foram realizadas dosagens séricas de aspartato aminotransferase (AST), alanina aminotransferase (ALT), albumina e fosfatase alcalina (FA), fator de crescimento de hepatócitos (HGF) e fator de crescimento transformador-α (TGF-α). A regeneração do fígado foi calculada pela fórmula: razão peso do fígado por 100g do peso corporal no momento da eutanásia/peso do fígado no pré-operatório projetado por 100g de peso corporal ×100.
RESULTADOS: Os níveis de ALT e AST foram significativamente menores no grupo II quando comparados com o grupo III (p<0,001). A albuminemia mostrou níveis significativamente mais elevados no grupo II. Os níveis de HGF e TGF-α no grupo II foram significativamente mais elevados que no grupo III. O percentual de regeneração hepática foi significativamente mais elevado no grupo II do que no grupo III.
CONCLUSÃO: o estudo demonstrou que a colectomia realizada simultaneamente à hepatectomia 70% influenciou positivamente na regeneração do fígado em ratos. Pesquisas adicionais são necessárias para revelar os mecanismos moleculares deste efeito e para caracterizar a influência do cólon na fisiologia do fígado.


Palavras-chave: Regeneração Hepática. Colectomia. Hepatectomia. Ratos.

Métodos de avaliação nutricional preditores de mortalidade pós-operatória em pacientes submetidos à gastrectomia por câncer gástrico

Nutritional assessment methods as predictors of postoperative mortality in gastric cancer patients submitted to gastrectomy

Aline Kirjner Poziomyck; Leandro Totti Cavazzola, TCBC-RS; Luisa Jussara Coelho; Edson Braga Lameu; Antonio Carlos Weston, TCBC-RS; Luis Fernando Moreira, TCBC-RS

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):482-490

Resumo

OBJETIVOS: determinar o método de avaliação nutricional que melhor prediz a mortalidade em 90 dias de pacientes submetidos à gastrectomia por câncer gástrico.
MÉTODOS: estudo prospectivo de 44 pacientes portadores de câncer gástrico, estágios II a IIIa, dos quais nove foram submetidos à gastrectomia parcial, 34 à gastrectomia total e um à esôfago-gastrectomia. Todos os pacientes foram avaliados nutricionalmente através do mesmo protocolo, até 72h da admissão hospitalar. Os parâmetros utilizados foram a Avaliação Subjetiva Global Produzida Pelo Paciente (ASG-PPP), antropometria clássica, incluindo peso e altura atuais, porcentagem de perda ponderal (%PP) e índice de massa corporal (IMC). A espessura do músculo adutor do polegar (MAP) em ambas mãos, mão dominante (MAPD) e mão não-dominante (MAPND) também foram realizadas, assim como o cálculo do índice nutricional prognóstico (IPN). O perfil laboratorial incluiu níveis séricos de albumina, eritrócitos, hemoglobina, hematócrito, leucócitos e contagem total de linfócitos (CTL).
RESULTADOS: dos 44 pacientes estudados, 29 (66%) eram desnutridos pelo método subjetivo, sendo 15 grau A, 18 grau B e 11 grau C. Os casos com ASG-PPP grau B e com MAPD 10,2±2,9 mm foram significativamente associados à maior mortalidade. As curvas ROC (intervalo de confiança de 95%) de ambas ASG-PPP e espessura da MAPD fidedignamente predisseram mortalidade em 30 e 90 dias. Nenhum método laboratorial permitiu prever a mortalidade em 90 dias.
CONCLUSÃO: a ASG-PPP e a espessura da MAPD podem ser utilizados como parâmetros pré-operatórios para risco de morte em pacientes submetidos à gastrectomia por câncer gástrico.


Palavras-chave: Avaliação Nutricional. Neoplasias Gástricas. Mortalidade. Prognóstico.

Levantamento epidemiológico das fraturas de face do Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre – RS

Epidemiological study of facial fractures at the Oral and Maxillofacial Surgery Service, Santa Casa de Misericordia Hospital Complex, Porto Alegre – RS – Brazil

Rodrigo Andrighetti Zamboni; João Carlos Birnfeld Wagner; Maurício Roth Volkweis; Eduardo Luis Gerhardt; Elissa Muller Buchmann; Caren Serra Bavaresco

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):491-497

Resumo

OBJETIVOS: pesquisar a incidência e etiologia dos traumas de face com diagnóstico de fratura facial atendidos no Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial do Complexo Hospitalar Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.
MÉTODOS: estudo epidemiológico, transversal, retrospectivo de 134 pacientes vítimas de trauma com 153 fraturas faciais.
RESULTADOS: o gênero mais acometido foi o masculino (86,6%) e sua incidência foi maior na faixa etária dos 21 aos 30 anos. A principal etiologia foi a agressão (38,8%), seguida de acidentes automobilísticos (14,2%), acidentes motociclísticos (13,4%), quedas (9%), atropelamentos (6,7%), acidentes esportivos (5,2%), acidentes de trabalho (5,2%), ferimentos por arma de fogo (4,5%) e acidentes ciclísticos (3%). As fraturas mais frequentes foram as do complexo zigomático (44,5%), seguidas das fraturas da mandíbula (42,5%), osso maxilar (5,2%), ossos próprios nasais (4,5%) e arco zigomático (3,3%).
CONCLUSÕES: as fraturas do complexo zigomático e da mandíbula foram as de maior incidência nos traumas de face, e tiveram como principal causa as agressões físicas.


Palavras-chave: Epidemiologia. Traumatismos Faciais. Cirurgiões Bucomaxilofaciais.

Efeitos da pressão local no fluxo sanguíneo cutâneo de porcos

Effects of local pressure on cutaneous blood flow in pigs

Michel Luciano Holger Toledano Vaena, TCBC-RJ; João Paulo Sinnecker; Bruno Benedetti Pinto; Mario Fritsch Toros Neves; Fernando Serra-Guimarães; Ruy Garcia Marques, TCBC-RJ

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):498-504

Resumo

OBJETIVO: avaliar os efeitos de pressões crescentes exercidas sobre a pele de porcos no fluxo sanguíneo cutâneo.
MÉTODOS: estudo experimental em porcos submetidos a implantes magnéticos subcutâneos (n=30). Após a cicatrização, foram aplicados sobre a pele, ímãs externos com forças magnéticas variadas, gerando compressão. A circulação cutânea da pele submetida à compressão foi avaliada pela técnica Laser Speckle Contrast Imaging (LSCI). A profundidade dos implantes foi medida por ultrassonografia, e simulações computacionais foram aplicadas para o cálculo dos diferentes valores de pressão, considerando-se as variadas distâncias entre implantes e ímãs externos.
RESULTADOS: dezenove implantes apresentaram complicações. Os 11 restantes foram submetidos à diferentes compressões magnéticas e análise de perfusão. Dois modelos de regressão linear mostraram uma correlação inversa entre pressão exercida e perfusão cutânea com variação significativa principalmente nos acréscimos iniciais de pressão até 20mmHg.
CONCLUSÃO: a principal redução do fluxo sanguíneo cutâneo resulta dos acréscimos iniciais de pressão de até 20mmHg. Os resultados sugerem que a isquemia tecidual pode ocorrer mesmo em regimes de baixa pressão, o que poderia contribuir para surgimento de lesões de pele, particularmente as úlceras relacionadas a dispositivos médicos.


Palavras-chave: Lesão por Pressão. Pele. Microcirculação. Fluxo Sanguíneo Regional. Modelos Animais. Suínos.

Tempo de observação e resolução espontânea de fimose primária em crianças

Observation time and spontaneous resolution of primary phimosis in children

Pedro Luiz Toledo de Arruda Lourenção; Dênis Silva Queiroz; Wilson Elias de-Oliveira Junior; Giovana Tuccille Comes; Rozemeire Garcia Marques; Débora Rodrigues Jozala; Erika Veruska Paiva Ortolan

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):505-510

Resumo

OBJETIVO: investigar a taxa de resolução espontânea de uma série de pacientes com diagnóstico de fimose fisiológica e sua relação com o tempo de observação e com a presença de sintomas.
MÉTODOS: estudo retrospectivo e de seguimento longitudinal e observacional de pacientes em acompanhamento por fimose fisiológica, que não haviam realizado tratamento tópico. Estes pacientes foram convocados para uma consulta médica de reavaliação ou tiveram dados recentes obtidos a partir da análise dos prontuários. A taxa de resolução espontânea foi determinada e comparada estatisticamente de acordo com a idade, com a presença de sintomas no momento da primeira consulta e com o tempo transcorrido entre a primeira consulta e a reavaliação.
RESULTADOS: setenta e um pacientes foram incluídos no estudo. O tempo médio de observação, entre a primeira consulta e a reavaliação foi de 37,4 meses. Houve resolução espontânea da fimose em 32 (45%) pacientes. As crianças que apresentaram resolução espontânea eram mais jovens no momento do diagnóstico inicial e foram observadas por um maior intervalo de tempo. A maior parte dos pacientes assintomáticos na primeira consulta apresentou resolução espontânea. No entanto, não foi possível estabelecer uma relação significativa entre a presença de sintomas e a evolução da fimose fisiológica.
CONCLUSÕES: o tempo de observação foi o maior determinante para a resolução espontânea de pacientes com fimose fisiológica, o que reforça a tendência atual mais conservadora em relação às indicações de circuncisão para estes pacientes.


Palavras-chave: Fimose. Circuncisão Masculina. Criança.

Artigo de Revisão

Escleroterapia ecoguiada com espuma para tratamento da insuficiência venosa crônica grave

Ultrasound-guided foam sclerotherapy for severe chronic venous insufficiency

Guilherme Camargo Gonçalves de-Abreu; Otacílio de Camargo Júnior; Márcia Fayad Marcondes de-Abreu; José Luís Braga de-Aquino, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):511-520

Resumo

A insuficiência venosa crônica é caracterizada por alterações cutâneas decorrentes da hipertensão venosa que, nas formas graves, evoluem com úlceras nos membros inferiores. As varizes dos membros inferiores são a causa mais frequente de insuficiência venosa crônica, que tem como tratamentos clássicos a cirurgia de varizes e a terapia compressiva. Novas técnicas de termo-ablação venosa por laser e radiofrequência são alternativas minimamente invasivas para o tratamento de varizes. A aplicabilidade dos diferentes métodos é limitada por requisitos anatômicos e clínicos. A escleroterapia ecoguiada com espuma consiste na injeção endovenosa da espuma esclerosante monitorada pelo Ultrassom Doppler. A escleroterapia tem grande aplicabilidade para tratamento das varizes e, provavelmente, é mais barato que outros métodos. Entretanto é, até o momento, o método menos estudado.


Palavras-chave: Varizes. Insuficiência Venosa. Úlcera da Perna. Escleroterapia. Ultrassom.

Necrose pancreática com infecção: estado atual do tratamento

Management of infected pancreatic necrosis: state of the art

Roberto Rasslan, TCBC-SP; Fernando da Costa Ferreira Novo; Alberto Bitran, TCBC-SP; Edivaldo Massazo Utiyama, TCBC-SP; Samir Rasslan, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):521-529

Resumo

A necrose pancreática ocorre em 15% das pancreatites agudas. A presença de infecção é o fator mais importante na evolução da pancreatite. Confirmar o diagnóstico de infecção ainda é um desafio. A mortalidade na necrose infectada é de 30% e na vigência de disfunção orgânica, chega a 70%. Nas últimas décadas, ocorreu uma verdadeira revolução no tratamento da necrose pancreática infectada. Mesmo assim, persiste o desafio e há múltiplas questões ainda não resolvidas: tratamento exclusivo com antibiótico, drenagem percutânea guiada por tomografia, drenagem por via endoscópica, desbridamento extra-peritoneal vídeo-assistido, acesso extra-peritoneal, necrosectomia por via aberta? Foi proposto o tratamento por etapas, “step up approach”, iniciando-se com as medidas menos invasivas e reservando-se a intervenção operatória para os casos em que o procedimento anterior não resolver definitivamente o problema. A indicação e o momento da intervenção devem ser determinados pela evolução clínica. O ideal é que a intervenção seja feita apenas depois da quarta semana de evolução, quando já existe melhor delimitação da necrose. O tratamento deve ser individualizado. Não existe um procedimento que deva ser o primeiro e a melhor opção para todos os doentes. O objetivo deste trabalho é fazer uma análise crítica do estado atual do tratamento da necrose pancreática infectada.


Palavras-chave: Pancreatite. Pancreatite Necrosante Aguda. Infecção. Drenagem.

Proposta de padronização da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica para procedimentos de citorredução cirúrgica e quimioterapia intraperitoneal hipertérmica no Brasil: pseudomixoma peritoneal, tumores do apêndice cecal e mesotelioma peritoneal maligno

A proposal of Brazilian Society of Surgical Oncology for standardizing cytoreductive surgery plus hypertermic intraperitoneal chemotherapy procedures in Brazil: pseudomixoma peritonei, appendiceal tumors and malignant peritoneal mesothelioma

Thales Paulo Batista, TCBC-PE; Bruno José Queiroz Sarmento; Janina Ferreira Loureiro; Andrea Petruzziello; Ademar Lopes, ECBC-SP; Cassio Cortez Santos; Cláudio de Almeida Quadros, TCBC-BA; Eduardo Hiroshi Akaishi, TCBC-SP; Eduardo Zanella Cordeiro; Felipe José Fernández Coimbra, TCBC-SP; Gustavo Andreazza Laporte; Leonaldson Santos Castro, TCBC-RJ; Ranyell Matheus Spencer Sobreira Batista; Samuel Aguiar Júnior, TCBC-SP; Wilson Luiz Costa Júnior; Fábio Oliveira Ferreira, TCBC-SP; Comitê de Neoplasias Peritoneais e Quimioterapia Intraperitoneal Hipertérmica da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):530-544

Resumo

A cirurgia citorredutora com quimioterapia intraperitoneal hipertérmica emergiu como um importante tratamento das neoplasias peritoneais e é, atualmente, o padrão de atendimento para neoplasias epiteliais do apêndice associadas à síndrome de pseudomixoma peritoneal, bem como para o mesotelioma peritoneal maligno difuso. No mundo, existem algumas variações reconhecidas das técnicas de cirurgia citorredutora e quimioterapia intraperitoneal hipertérmica, entretanto nenhuma técnica até agora demonstrou sua superioridade sobre o outra. Portanto, a padronização destes procedimentos poderia melhorar a prática clínica e permitir a comparação adequada entre os resultados. Neste cenário, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica considera importante a apresentação de uma proposta de padronização de procedimentos de cirurgia citorredutora com quimioterapia intraperitoneal hipertérmica no Brasil, com um foco especial na produção de dados homogêneos para o desenvolvimento do registro brasileiro das neoplasias peritoneais.


Palavras-chave: Injeções Intraperitoneais. Hipertermia Induzida. Quimioterapia. Neoplasias Peritoneais.

Ensino

Projeto de ensino: modelo porcino de baixo custo para treinamento de dissecção venosa

Educational project: low cost porcine model for venous cutdown training

Fernando Antônio Campelo Spencer Netto, TCBC-PR; Mariana Thalyta Bertolin Silva; Michael de Mello Constantino; Raphael Flávio Fachini Cipriani; Michel Cardoso

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(5):545-548

Resumo

OBJETIVO: descrever e avaliar a aceitação de um modelo experimental porcino no aprendizado de dissecção venosa em projeto de educação médica no sudoeste do Brasil.
MÉTODO: um modelo experimental porcino foi desenvolvido para treinamento em dissecção venosa como projeto de ensino. Estudantes de medicina e médicos residentes receberam treinamento teórico sobre esta técnica cirúrgica e em seguida a praticaram no modelo. Após realizar o procedimento, os participantes preencheram um questionário sobre o modelo proposto. Este estudo apresenta o modelo e analisa as respostas ao questionário.
RESULTADOS: o estudo contou com 69 participantes que utilizaram e avaliaram o modelo. A qualidade geral do modelo porcino foi estimada em 9,16 enquanto a correlação anatômica entre este e a anatomia humana recebeu o escore médio de 8,07. O modelo foi aprovado e considerado útil no ensino da dissecção venosa.
CONCLUSÃO: o treinamento de dissecção venosa em modelo porcino apresentou boa aceitação entre estudantes e residentes de medicina desta Instituição. Este modelo simples e de fácil confecção, tem potencial como instrumento de aprendizado por sua semelhança com a anatomia humana, e baixo custo.


Palavras-chave: Simulação. Dissecação. Modelos Educacionais. Modelos Animais. Suínos. Educação Médica.

Copyright 2018 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões