Orgão Oficial

CBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

Capa

Ano 2015 - Volume 42 Número 4
Julho / Agosto

Editorial

1 - Maio amarelo: um movimento ativo para prevenir lesões no trânsito

Yellow may: an active campaign to prevent road traffic injury

Gustavo Pereira Fraga, TCBC-SP; Paulo Roberto Carreiro, TCBC-MG; Hamilton Petry de Souza, TCBC-RS; Sandro Scarpelini, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):200-201

PDF PT PDF EN


Artigo Original

2 - Consumo de álcool e intervenção breve em vítimas de trauma

Alcohol and brief intervention for trauma victims

Karina Diniz Oliveira; Emilio Carlos Elias Baracat; Rafael Lanaro; Caroline Eugeni; Ellen Ricci; Mayara Schiavon Rabello; Juliana Perpetuo de Souza; Vitoria Carneiro Gimenes; Renata Cruz Soares de Azevedo; Gustavo Pereira Fraga

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):202-208

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar os mecanismos e a gravidade do trauma em pacientes que preenchessem critérios para abuso ou dependência de álcool de acordo com o Mini International Neuropsychiatric Interview e apresentar o padrão de consumo de álcool e as mudanças um ano após o trauma.
MÉTODOS: estudo quantitativo transversal e longitudinal realizado de novembro de 2012 a setembro de 2013 em Unidade de Emergência. O paciente era submetido a uma entrevista semiestruturada que avalia abuso e dependência de álcool. Os pacientes abusadores e dependentes de álcool foram submetidos à intervenção breve. Um ano após a admissão os pacientes foram contatados e questionados acerca do padrão de uso e as razões de eventuais mudanças.
RESULTADOS: de uma amostra de 507 pacientes admitidos na UE por trauma, 348 responderam ao MINI, sendo 25,9% abusadores e 10,3% dependentes de álcool. Entre os abusadores o mecanismo de trauma mais frequente foi o acidente de motocicleta (35,6%) e nos dependentes houve predomínio de espancamento (22,2%). Amostras de sangue positivas para álcool foram identificadas em 31,7% dos abusadores e 53,1% dos dependentes. Um ano após o trauma, 66 abusadores e 31 dependentes foram contatados, constatando-se que 36,4% dos abusadores e 19,4% dos dependentes diminuíram o padrão de consumo de álcool. A principal razão relatada de redução foi o trauma.
CONCLUSÃO: o acidente de motocicleta foi o mecanismo de trauma mais frequente e entre os abusadores e dependentes de álcool houve redução do consumo de álcool após o trauma, porém a IB não foi a razão mais relatada para a mudança do hábito.


Palavras-chave: Alcoolismo. Ferimentos e Lesões. Emergências. Transtornos Relacionados ao Uso de Álcool.

3 - Admissão noturna é fator de risco independente para mortalidade em pacientes vítimas de trauma - uma abordagem ao erro sistêmico

Night admission is an independent risk factor for mortality in trauma patients - a systemic error approach

Leonardo de Souza Barbosa; Geibel Santos dos Reis Júnior; Ricardo Zantieff Topolski Chaves; Davi Jorge Fontoura Solla; Leonardo Fernandes Canedo; André Gusmão Cunha

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):209-214

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: verificar o impacto do turno de admissão de pacientes vítimas de trauma, submetidos ao tratamento cirúrgico, na mortalidade hospitalar.
MÉTODOS: estudo de coorte observacional retrospectivo no período de novembro de 2011 a março de 2012, com dados coletados através de prontuário eletrônico. Foram analisadas estatisticamente as variáveis de interesse: idade, sexo, cidade de origem, estado civil, classificação de risco à admissão (baseado no Protocolo de Manchester), grau de contaminação, horário/turno de admissão, dia de admissão e desfecho hospitalar.
RESULTADOS: Quinhentos e sessenta e três pacientes traumatizados foram submetidos ao tratamento cirúrgico no período estudado, com média de idade de 35,5 anos (± 20,7), sendo 75% do sexo masculino, 49,9% admitidos no turno noturno e 36,4% aos finais de semana. Os pacientes admitidos à noite e aos finais de semana apresentaram maior mortalidade, 6,9% vs. 2,2%, p=0,014, e 5,4% vs. 3,9%, p=0,014, respectivamente. À análise multivariada, os fatores preditores independentes de mortalidade foram a admissão noturna (OR 3,15), a classificação de risco vermelho (OR 4,87), e a idade (OR 1,17).
CONCLUSÃO: a admissão no turno noturno e no final de semana foi associada com pacientes de maior gravidade e apresentaram maior taxa de mortalidade. A admissão no turno noturno foi fator independente de mortalidade em pacientes traumatizados cirúrgicos, juntamente com a classificação de risco vermelho e a idade.


Palavras-chave: Trauma. Mortalidade. Admissão do Paciente. Fatores de Tempo. Emergências.

4 - Avaliação da utilização da tomografia computadorizada no trauma cervical penetrante

Evaluation of the use of tomography in penetrating neck trauma

Adonis Nasr, TCBC-PR; Jéssica Tamara de Oliveira; Melissa Mello Mazepa; Christine Lima Cavalcanti de Albuquerque; Gabriela Soraya Martini; Mariana Nazario; Fábio Henrique de Carvalho, ACBC-PR

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):215-219

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a acurácia da tomografia computadorizada no diagnóstico de lesões do trauma cervical penetrante.
MÉTODOS: estudo retrospectivo descritivo observacional realizado através da revisão de prontuários de todos os pacientes vítimas de trauma cervical penetrante que foram operados e submetidos à tomografia computadorizada no pré-operatório.
RESULTADOS: a amostra final compreendeu 30 pacientes, sendo 96,7% do sexo masculino e a mediana de idade foi 28 anos. A maioria dos pacientes sofreu ferimento por arma de fogo (FAF) em 56,7% dos casos e 33,3% foram ferimentos por arma branca (FAB). A zona do pescoço mais acometido foi a zona II (77,8%) e no lado esquerdo (55,2%). Em relação às estruturas lesadas, a tomografia computadorizada (TC) mostrou 6,7% de lesões em vias aéreas e durante a operação encontrou-se 40% de alterações (p=0,002). A tomografia computadorizada detectou 10% de leões do esôfago e faringe, durante a operação encontrou-se 30% de lesões (p=0,013). Já, para análise de danos vasculares, a TC se mostrou, na maioria dos casos, fidedigna aos achados durante o procedimento operatório.
CONCLUSÃO: apesar do grande uso da tomografia computadorizada no diagnóstico de lesões cervicais penetrantes, pode-se afirmar que este é um exame com baixa acurácia no diagnóstico de lesões de trato aerodigestivo, sendo importante uma correlação clínica para um bom diagnóstico. Já para lesões vasculares e de outras estruturas, a TC apresentou alto grau de sensibilidade e especificidade, sendo assim um bom exame a ser utilizado nesses casos.


Palavras-chave: Lesões do Pescoço. Ferimentos e Lesões. Diagnóstico por Imagem. Tomografia Computadorizada por Raios X.

5 - Exames complementares na condução do trauma contuso do tronco. É seguro realizar apenas radiografias e fast?

Complementary exams in blunt torso trauma. Perform only radiographs and fast: is it safe?

Fábio Mendes Botelho Filho; Roberto Carlos de Oliveira e Silva, TCBC-MG; Sizenando Vieira Starling, TCBC-MG; Diego Pereira Zille; Domingos André Fernandes Drumond, TCBC-MG

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):220-223

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a efetividade do uso da radiografia de tórax (RxT), pelve (RxP) e FAST (Focused Abdominal Sonography on Trauma) em excluir lesões significativas do tronco no trauma contuso.
MÉTODOS: estudo prospectivo envolvendo 74 pacientes no período de outubro de 2013 a fevereiro de 2014 que fizeram, durante a avaliação inicial, os três exames (RxT, RxP e FAST). Os resultados destes exames foram comparados à tomografia de tronco do mesmo paciente ou com a sua evolução clínica com base no tempo de observação protocolado pelo hospital. Todos os pacientes foram atendidos no Hospital João XXIII, Belo Horizonte/MG, Brasil.
RESULTADOS: Dos 74 pacientes estudados, a média de idade foi 33 anos, RTS: 6,98, Escala de Coma de Glasgow (ECG): 12. Desses, 44 (59,45%) possuíram os exames (radiografias e FAST) sem alterações, porém três pacientes desse grupo apresentaram lesões importantes (duas lesões esplênicas e uma hepática) suspeitadas através do acompanhamento clínico e definidas pela tomografia posterior. O restante dos pacientes, 30 (40,55%), tiveram pelo menos uma alteração nos exames convencionais, sendo que, dentro desse grupo, 27 (90%) apresentaram lesões significativas e três (10%) lesões leves. A sensibilidade do conjunto dos três exames para triagem de lesões significativas foi 90% e sua especificidade, 93%. O valor preditivo negativo encontrado foi 93% e o valor preditivo positivo, de 89%.
CONCLUSÃO: O estudo demonstrou que o conjunto dos três exames (radiografia de tórax, pelve e FAST) é seguro para conduzir o trauma contuso do tronco, se for bem utilizado, associado ao exame clínico.


Palavras-chave: Exames Médicos. Trauma. Tronco. Avaliação. Avaliação de Danos.

6 - Fatores associados ao empiema em pacientes com hemotórax retido pós-traumático

Associated factors to empyema in post-traumatic hemotorax

Mario Pastore Neto; Vivian Resende, TCBC-MG; Carla Jorge Machado; Emanuelle Maria Sávio de Abreu; João Baptista de Rezende Neto; Marcelo Dias Sanches

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):224-230

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: analisar os fatores associados ao empiema em pacientes com hemotórax retido pós-traumático.
MÉTODOS: estudo prospectivo observacional. Os dados foram coletados de pacientes submetidos à drenagem pleural de emergência. Foram analisadas: idade, sexo, mecanismo de trauma, lado da lesão torácica, complicações intratorácicas decorrentes do hemotórax retido, laparotomia, lesões específicas, fratura de arcos costais, índices de trauma, dias até o diagnóstico, método diagnóstico do HR, indicação primária da drenagem pleural, volume inicial drenado, dias de permanência do primeiro dreno, procedimento cirúrgico. Obteve-se a incidencia acumulada de empiema, pneumonia e contusão pulmonar e a incidência de empiema em cada categoria das variaìveis analisadas.
RESULTADOS: a incidência acumulada de drenagem pleural por trauma foi 1,83% e a de hemotórax retido entre aqueles com derrame pleural foi de 10,63%. Houve 20 casos de empiema (32,8%). A maioria tinha entre 20 e 29 anos, era do sexo masculino e sofreu ferimento por arma de fogo. A incidência de empiema entre pacientes com ferimento por arma de fogo foi inferior aos demais mecanismos; superior entre aqueles com volume drenado entre 300 e 599 ml. O tempo mediano de permanência hospitalar foi maior nos pacientes com empiema.
CONCLUSÃO: as incidências de derrame pleural e hemotórax retido entre aqueles com DP nessa amostra de baixa gravidade dos pacientes foram, respectivamente, 1,83% e 10,63%. A incidência de empiema revelou-se negativamente associada à ocorrência de ferimento por arma de fogo e positivamente associada a volume drenado entre 300 e 599 ml, bem como, ao tempo mediano de permanência hospitalar.


Palavras-chave: Empiema. Traumatismos Torácicos. Tórax. Drenagens. Hemotórax.

7 - Impacto de um protocolo de cuidados a pacientes com trauma torácico drenado

The impact of a chest tube management protocol on the outcome of trauma patients with tube thoracostomy

Emanuelle Maria Sávio de Abreu; Carla Jorge Machado; Mario Pastore Neto; João Baptista de Rezende Neto, TCBC-MG; Marcelo Dias Sanches

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):231-237

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a implantação do Cuidado Padronizado com o Dreno de Tórax (CPDT) em um hospital público, referência para o trauma, e o impacto independente de cada um dos itens do protocolo no período do estudo sobre desfechos selecionados.
MÉTODOS: coorte retrospectiva avaliando implementação do Cuidado Padronizado para o Dreno de Tórax (CPDT). Foram incluídos pacientes entre 15 e 59 anos de idade, hemodinamicamente estáveis, com Injury Severity Score inferior a 17, com lesão isolada na parede do tórax, pulmão e pleura. Foram comparados 99 pacientes antes do CPDT com 92 depois do CPDT. Foi realizada comparação de desfechos selecionados por meio de diferença de proporções. A regressão logística multivariada foi feita para análise do efeito independente de cada variável do protocolo.
RESULTADOS: não houve diferença entre os grupos quanto às variáveis sociodemográficas, índice de gravidade e mecanismo de trauma. A implementação do CPDT resultou no aumento no percentual de todos os itens do protocolo. Houve redução significativa (p<0,05) de hemotórax retido, empiema, pneumonia, infecções de ferida operatória e nova operação, queda do percentual de pacientes retornados com complicações, tempo de internação e de permanência do dreno. A fisioterapia revelou-se independentemente associada à redução de sete dos oito desfechos (p<0,05). O antibiótico presuntivo revelou tendência de associação com a redução de empiema e de infecções de ferida operatória (p<0,10) e esteve associado à redução do hemotórax retido (p<0,05). A drenagem no centro cirúrgico esteve associada à redução de empiema, pneumonia e infecção de ferida operatória (p<0,05).
CONCLUSÃO: a implementação do CPDT foi efetiva na redução de complicações de pacientes com dreno de tórax.


Palavras-chave: Traumatologia. Traumatismos torácicos. Fisioterapia. Empiema Pleural. Toracostomia.

8 - Lesão hepática isolada por arma de fogo: é possível realizar tratamento não operatório?

Isolated liver gunshot injuries: nonoperative management is feasible?

Sizenando Vieira Starling, TCBC-MG; Camila Issa de Azevedo; Aline Valente Santana; Bruno de Lima Rodrigues, ACBC-MG; Domingos André Fernandes Drumond, TCBC-MG

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):238-243

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: analisar a segurança e efetividade do tratamento não operatório (TNO) da lesão hepática, como única lesão abdominal, em vítima de perfuração por projétil de arma de fogo (PAF) no abdome.
MÉTODOS: Foram estudados os pacientes com lesão hepática diagnosticada como única lesão abdominal provocada por PAF na região toracoabdominal direita, hemodinamicamente estáveis. Todos foram submetidos ao exame com tomografia computadorizada. Foram analisados: idade, sexo, índices de trauma, condição hemodinâmica e exame do abdome à admissão, resultados da tomografia computadorizada, lesões extra-abdominais existentes, níveis séricos de hemoglobina, evolução clínica, presença de complicações, tempo de permanência hospitalar, acompanhamento ambulatorial e óbito.
RESULTADOS: no período do estudo, 169 pacientes do protocolo de TNO apresentaram lesão hepática por projétil de arma de fogo. Destes, apenas 28 pacientes (16,6%) possuíam lesão hepática como única lesão abdominal e preencheram os critérios de inclusão no estudo. A média de idade foi 27,7 anos e 25 pacientes (89,2%) eram do sexo masculino. A média global dos índices de trauma verificada foi: RTS 7,45; ISS 10,9; e TRISS 98,7%. As lesões mais frequentes foram a grau II e grau III (85,7%). Um paciente apresentou complicação. Não houve óbito na série. A média de permanência hospitalar foi 5,3 dias.
CONCLUSÃO: A lesão hepática isolada no trauma penetrante por PAF é pouco frequente e o tratamento não operatório desse tipo de lesão é seguro e apresenta baixa morbidade.


Palavras-chave: Ferimentos e Lesões. Índices de Gravidade do Trauma. Fígado/cirurgia. Ferimentos Penetrantes. Traumatismos Abdominais.

9 - Trauma vascular na Amazônia - o desafio das grandes distâncias

Vascular trauma in the Amazon - the challenge of great distances

Adenauer Marinho de Oliveira Góes Junior; Allan Dias Vasconcelos Rodrigues; Fábio Brito Braga; Mariseth Carvalho de Andrade; Simone de Campos Vieira Abib

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):244-252

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a incidência de desfechos desfavoráveis, em pacientes operados por trauma vascular, e sua relação com a distância entre o local do acidente e o hospital onde o paciente recebeu o tratamento definitivo.
MÉTODOS: estudo descritivo e retrospectivo. Dados coletados nos prontuários de pacientes operados por lesões vasculares, entre fevereiro de 2011 e fevereiro de 2013, no único hospital de trauma com atendimento especializado em cirurgia vascular em uma vasta área da Amazônia. Foram analisados data do trauma, sexo, idade, mecanismo e topografia da lesão, tratamento cirúrgico, reintervenção, período de internação, complicações, amputação e mortalidade. A incidência de desfechos desfavoráveis foi avaliada de acordo com a distância entre a cidade onde ocorreu a lesão vascular eo hospital.
RESULTADOS: foram estudados 173 pacientes, com 255 lesões; 95,95% do sexo masculino (p<0,05), média de idade de 28,92 anos; 47,4% das lesões por projéteis de arma de fogo (p<0,05); distribuição topográfica: 45,66% (p<0,05) nos vasos dos membros inferiores, 37,57% nos membros superiores, 6,94% de lesões abdominais, 5,2% torácicas e 4,62% lesões do pescoço; 51,42% tiveram hospitalização por sete dias ou menos (p<0,05); amputação foi necessária em 15,6% e a mortalidade 6,36%.
CONCLUSÃO: distâncias superiores a 200km foram associadas à internação prolongada; distâncias superiores a 300km foram associadas à maior probabilidade de amputação de membros; traumatismos vasculares graves estiveram associados a uma maior probabilidade de óbito quando os pacientes precisaram ser transportados por mais de 200km para o tratamento cirúrgico.


Palavras-chave: Causas Externas. Ferimentos e Lesões. Lesões do Sistema Vascular. Vasos Sanguíneos. Artéria Ulnar.

10 - Análise comparativa das lesões diagnosticadas e de sua gravidade entre vítimas de atropelamento e outros mecanismos de trauma fechado

Comparative analysis of the frequency and the severity of diagnosed lesions between pedestrians struck by motor vehicles and other blunt trauma mechanisms victims

José Gustavo Parreira, TCBC-SP; Rafael Krieger Martins; Julio Slongo; Jacqueline A. Giannini Perlingeiro, TCBC-SP; Silvia Cristine Soldá, TCBC-SP; José Cesar Assef, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):253-258

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: comparar, entre vítimas de atropelamento e de outros mecanismos de trauma fechado, a frequência e gravidade das lesões identificadas.
MÉTODOS: análise retrospectiva das informações do registro de trauma, incluindo as vítimas de trauma fechado, com idade superior a 13 anos de idade, admitidas entre 2008-2010. Avaliamos o mecanismo de trauma, dados vitais à admissão e lesões diagnosticadas. A estratificação de gravidade da amostra foi realizada pelos índices RTS, AIS-90, ISS e TRISS. As vítimas de trauma fechado foram separadas em dois grupos: Grupo A- pedestres vítimas de atropelamento; Grupo B- vítimas dos demais mecanismos de trauma fechado. As variáveis foram comparadas entre os dois grupos.
RESULTADOS: foram incluídos no estudo 5785 casos, sendo que, 1217 (21,0%) foram vítimas de atropelamento. Observamos que os traumatizados do grupo A apresentaram, significativamente (p<0,05), maior média etária, de frequência cardíaca à admissão, de ISS, de AIS no segmento cefálico, torácico, abdominal e em extremidades, bem como, menor média de escala de coma de Glasgow, pressão arterial sistólica a admissão, RTS e TRISS. As vítimas de atropelamento também apresentaram (p<0,05), maior frequência de hematomas extradurais, hematomas subdurais agudos, hemorragia subaracnoidea, Brain Swelling, contusão cerebral, lesão axonal difusa, fraturas de arcos costais, pneumotórax, tórax flácido, contusão pulmonar, bem como, fraturas de pelve, de membros superiores, inferiores e expostas de membros inferiores.
CONCLUSÃO: as vítimas de atropelamento apresentam maior frequência e gravidade de lesões intracranianas, torácicas, abdominais e em extremidades quando comparadas às vítimas de outros mecanismos de trauma fechado em conjunto.


Palavras-chave: Acidentes de Trânsito. Traumatismo Múltiplo. Índices de Gravidade do Trauma. Prevenção de Acidentes. Ferimentos e Lesões.

11 - Fatores de risco para óbito no trauma abdominal fechado com abordagem cirúrgica

Risk factors for mortality in blunt abdominal trauma with surgical approach

Silvania Klug Pimentel, TCBC-PR; Guilherme Vinicius Sawczyn; Melissa Mello Mazepa; Felipe Guilherme Gonçalves da Rosa; Adonis Nars, TCBC-PR; Iwan Augusto Collaço, TCBC-PR

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):259-264

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: identificar fatores de risco para óbito em pacientes submetidos à laparotomia exploradora após trauma abdominal contuso.
MÉTODOS: estudo retrospectivo, caso-controle, no qual foram revisados prontuários dos pacientes vítimas de trauma contuso submetidos à laparotomia. Foram avaliados: variáveis epidemiológicas, mecanismo de trauma, lesões anatômicas das vísceras abdominais, lesões associadas, necessidade de operação para controle de danos reoperação e desfecho.
RESULTADOS: dos 86 pacientes, 63% foram curados, 36% foram a óbito e um paciente foi excluído do estudo. Ambos os grupos possuíam epidemiologia e mecanismo de trauma semelhantes, predominantemente adultos jovens do sexo masculino, vítimas de acidente automobilístico. A maioria dos casos que evoluíram a óbito teve instabilidade hemodinâmica como indicação de laparotomia - 61% contra 38% do outro grupo. A presença de lesão de víscera maciça foi maior no grupo óbitos - 80% vs. 48%, e 61% destes tinham outra lesão abdominal associada contra 25% dos curados. Dos pacientes que faleceram, 96% apresentavam lesões graves associadas. Pacientes que necessitaram de cirurgia de controle de danos tiveram maior taxa de mortalidade. Apenas um de 18 pacientes com lesão de víscera oca isolada evoluiu a óbito. A média do escore de trauma TRISS dos curados (91,7%) foi significativamente maior do que a dos óbitos (46,3%).
CONCLUSÃO: os fatores de risco para óbito encontrados para vítimas de trauma abdominal fechado que necessitam de laparotomia exploradora são: instabilidade hemodinâmica como indicação para laparotomia, presença de lesão de víscera maciça, múltiplas lesões intra-abdominais, necessidade de cirurgia de controle de danos, lesões graves associadas e índice de trauma baixo.


Palavras-chave: Traumatismo Múltiplo. Traumatismos Abdominais. Ferimentos e Lesões. Fatores de Risco.

Ensino

12 - Implantação de registro de trauma como ferramenta para melhorar a qualidade do atendimento a traumatizados: os primeiros 12 meses

Implementation of the trauma registry as a tool for quality improvement in trauma care in a brazilian hospital: the first 12 months

José Gustavo Parreira, TCBC-SP ; Tércio de Campos, TCBC-SP; Jacqueline A. Gianinni Perlingeiro,TCBC-SP; Silvia C. Soldá,TCBC-SP; José Cesar Assef,TCBC-SP; Augusto Canton Gonçalves; Bruno Malteze Zuffo; Caio Gomes Floriano; Erik Haruk de Oliveira; Renato Vieira Rodrigues de Oliveira; Amanda Lima OliveirA; Caio Gullo de Melo; Cristiano Below; Dino R. Pérez Miranda; Gabriella Colasuonno Santos; Gabriele Madeira de Almeida; Isabela Campos Brianti; Karina Baruel de Camargo Votto; Patrick Alexander Sauer Schues; Rafael Gomes dos Santos; Sérgio Mazzola Poli de Figueredo; Tatiani Gonçalves de Araujo; Bruna do Nascimento Santos; Laura Cardoso Manduca Ferreira; Giuliana Olivi Tanaka; Thiara Matos; Maria Daiana da Sousa; Samara de Souza Augusto

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):265-272

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: analisar a implantação de registro de trauma em hospital universitário com atendimento ao SUS, bem como, sua capacidade em identificar pontos para melhorada qualidade no atendimento.
MÉTODOS: o grupo de coleta de dados foi composto por alunos dos cursos de medicina e enfermagem, orientados pelos coordenadores do projeto. Utilizamos o software itreg (ECO Sistemas-RJ/SBAIT) como ferramenta de banco de dados. Vários "filtros" de qualidade foram propostos no intuito de selecionar os casos a serem revistos no processo de controle de qualidade.
RESULTADOS: entre março e novembro de 2014, foram inseridos no itreg dados de 1344 vítimas de trauma. Cerca de 87% foram vítimas de trauma fechado, 59,6% apresentaram RTS>7,0 e, 67%, ISS<9. Os registros foram completos em 292 casos, que foram selecionados para a revisãono programa de qualidade. Os filtros de auditoria mais frequentemente anotadosforam a laparotomia após quatro horas da admissão e a drenagem dos hematomas subdurais agudos após quatro horas da admissão. Identificamos vários pontos a serem desenvolvidos, como o controle da "supertriagem" de doentes, a necessidade de diminuição do número de exames de imagem negativos, o desenvolvimento de protocolos para passagem de acessos venosos centrais e tratamento de trauma craniencefálico grave.
CONCLUSÃO: o Registro de Trauma traz uma visão clara dos pontos a serem melhorados no atendimento ao traumatizado, contudo, há características específicas na implantação desta ferramenta.


Palavras-chave: Traumatismo Múltiplo. Ferimentos e Lesões. Índices de Gravidade do Trauma. Registros Médicos. Controle de Qualidade.

Revisão

13 - "Curbing Inflammation" e hemorragia por trauma: uma revisão

Curbing Inflammation in hemorrhagic trauma: a review

Mauricio Godinho; Pedro Padim; Paulo Roberto B. Evora; Sandro Scarpelini

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(4):273-279

Resumo PDF PT PDF EN

O Trauma é uma das principais causas de morte até 40 anos de idade em todo o mundo e, portanto, um significativo problema de saúde. Esta doença é ainda responsável por quase um terço dos anos perdidos de vida produtiva até os 65 anos de idade e esta associada com infecção, choque hemorrágico, síndrome de reperfusão e inflamação. O controle da hemorragia, coagulopatia, utilização dos produtos derivados do sangue, equilibrando hipo e hiperperfusão, e reanimação hemostática melhoraram a sobrevida em casos de trauma com hemorragia volumosa. Esta revisão discute a inflamação no contexto de choque hemorrágico associado ao trauma. Quando consideradosos efeitos imunomoduladores conhecidos da lesão traumática e transfusão de sangue alogênico em relação aos doentes, é surpreendente que tão poucos estudos avaliaram os seus efeitos combinados sobre a função imunológica. Discutimos também os benefícios relativos de reduzir a inflamação ao invés de tentar impedi-la.


Palavras-chave: Ferimentos e Traumatismos. Traumatologia. Lesões Múltiplas. Transfusão de Sangue. Mediadores da Inflamação. Imunomoduladores.

Indexada em:

Copyright 2017 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões