Orgão Oficial

CBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

Artigos do Autor

2 resultado(s) para: Esdras Marques Lins

Eficácia da membrana de celulose bacteriana no tratamento de úlceras venosas de membros inferiores: estudo randomizado e controlado

Efficacy of bacterial cellulose membrane for the treatment of lower limbs chronic varicose ulcers: a randomized and controlled trial

Luciana Marins Cavalcanti; Flávia Cristina Morone Pinto; Glícia Maria de Oliveira; Salvador Vilar Correia Lima; José Lamartine de Andrade Aguiar; Esdras Marques Lins

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(1):72-80 : Artigo Original

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a eficácia de curativos com membrana de Celulose Bacteriana (CB) no tratamento de úlceras venosas de membros inferiores.
MÉTODOS: estudo prospectivo, randomizado e controlado de 25 pacientes com úlceras decorrentes de doença venosa crônica nos membros inferiores provenientes do Serviço de Angiologia e Cirurgia Vascular do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco e da Policlínica do Salgado da Secretaria Municipal de Saúde, Caruaru, Pernambuco. Os pacientes foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos: grupo controle, que recebeu curativos com óleo de triglicerídeos (11 pacientes) e grupo experimental, tratado com membrana de CB (14 pacientes). Os pacientes foram acompanhados por um período de 120 dias.
RESULTADOS: houve uma redução na área de ferida em ambos os grupos. Não houve infecção ou reações ao produto em nenhum dos grupos. Pacientes do grupo CB mostraram diminuição da dor e interrupção mais precoce do uso de analgésicos.
CONCLUSÃO: a membrana de CB pode ser usada como curativo para o tratamento de úlceras varicosas dos membros inferiores.


Palavras-chave: Úlcera Varicosa. Celulose. Saccharum. Cicatrização.

Estudo experimental de reconstrução da veia femoral com enxerto tubular do bipolímero de cana-de-açúcar

Experimental study of femoral vein reconstruction with sugarcane biopolymer tubular graft

Daniella Maria Souza Silva; Esdras Marques Lins, TCBC-PE; Sílvio Romero Barros Marques, TCBC-PE; Amanda Vasconcelos Albuquerque; José Lamartine Andrade Aguiar, TCBC-PE

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(4):1-8 : Artigo Original

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar, através de dopplerfluxometria, de venografia, de histologia e de evolução clínica, o uso de enxertos tubulares de biopolímero de cana-de-açúcar (BP) na reconstrução de veias femorais em cães.
MÉTODOS: oito cães adultos foram submetidos à reconstrução de veia femoral, à esquerda com enxerto tubular de BP e à direita com veia autóloga. No período pós-operatório, os animais foram submetidos à avaliação clínica e dopplerfluxometria das veias femorais. Após 360 dias, os cães foram reoperados e submetidos à flebografia das veias femorais com contraste iodado. Os segmentos das veias femorais contendo os enxertos foram retirados e enviados para avaliação histopatológica.
RESULTADOS: os cães não apresentaram hemorragia, hematoma, infecção da ferida operatória ou edema dos membros operados. Um animal apresentou dilatação venosa superficial na região inguinal esquerda. A flebografia realizada 360 dias após a primeira cirurgia demonstrou que três (37,5%) enxertos de BP e sete (87,5%) do grupo controle (C) estavam pérvios. Na avaliação histopatológica foi encontrada uma reação inflamatória com neutrófilos e linfócitos na superfície externa de ambos os grupos. Na camada íntima de revestimento dos enxertos e na camada externa nos dois grupos, foi encontrada fibrose.
CONCLUSÃO: com base nos resultados obtidos com o modelo experimental utilizado, conclui-se que a BP apresenta potencial para ser utilizado como enxerto tubular para revascularização venosa, porém novas pesquisas precisam ser realizadas para confirmar a sua eficácia na revascularização de veias de médio e grande calibre, o que poderia permitir o seu uso na prática clínica.


Palavras-chave: Enxerto Vascular. Veia Femoral. Saccharum. Bioprótese. Procedimentos Cirúrgicos Vasculares. Cães.

Copyright 2018 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões