Orgão Oficial

CBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

Artigos do Autor

2 resultado(s) para: Kiyoshi Goke

Corona Mortis: descrição anatômica e cirúrgica em 60 hemipelvis cadavéricas

Corona Mortis: anatomical and surgical description on 60 cadaveric hemipelvises

Túlio Fabiano de Oliveira Leite; Lucas Alves Sarmento Pires; Kiyoshi Goke; Júlio Guilherme Silva; Carlos Alberto Araujo Chagas

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(6):553-559 : Artigo Original

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: relatar a prevalência da corona mortis arterial e descrever suas aplicabilidades cirúrgicas e clínicas.
MÉTODOS: sessenta hemipelvises (50 homens e 10 mulheres) fixadas em uma solução de formalina a 10% foram dissecadas com o propósito de obter informações sobre a corona mortis. Medidas do calibre e comprimento da artéria obturatória e seu ramo anastomótico foram mensuradas com o auxílio de um paquímetro digital e submetidas a análises e comparações estatísticas no programa GraphPad Prism 6.
RESULTADOS: a corona mortis arterial esteve presente em 45% da amostra estudada. A origem mais comum da artéria obturatória foi da artéria ilíaca interna, porém, houve um caso excepcional no qual a artéria obturatória se originou da artéria femoral. O calibre do ramo anastomótico foi em média 2.7mm, enquanto que o calibre da artéria obturatória foi 2.6mm.
CONCLUSÃO: as conexões vasculares entre os sistemas obturatório, ilíacos interno e externo e epigástrico inferior são relativamente comuns sobre o ramo superior da pube. O diâmetro e a trajetória dessa artéria anastomótica podem variar. Assim, lesões iatrogênicas, fraturas pélvicas e acetabulares podem resultar em hemorragias graves que colocam a vida do paciente em risco.


Palavras-chave: Corona Mortis. Variação Anatômica. Anatomia. Cirurgia Geral.

Copyright 2018 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões