Orgão Oficial

CBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

Artigos Relacionados

5 resultado(s) para: Endoscopia Gastrointestinal. Ductos Biliares. Ultrassonografia de Intervenção. Icterícia Obstrutiva. Endossonografia.

Drenagem biliar ecoguiada: uma nova era da cirurgia endoscópica

Ultrasound-guided biliary drainage: a new era of endoscopic surgery

Joel Fernandez de Oliveira; Diogo Turiani Hourneaux de Moura; Eduardo Turiani Hourneaux de Moura; Hugo Gonçalo Guedes; José Pinhata Otoch; Everson Luiz de Almeida Artifon

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(3):198-208 : Artigo de Revisão

Resumo

Apesar da taxa de sucesso da colangiopancreatografia endoscópica retrógrada (CPRE), em cerca de 10% dos casos há falha no acesso à via biliar. Nesse contexto o ultrassom endoscópico (UE), que inicialmente só era utilizado para o diagnóstico e estadiamento de doenças, hoje, tem importância terapêutica. O objetivo dessa atualização é demonstrar as diversas formas de drenagem biliar ecoguiada, bem como, compará-la com a drenagem transparieto-hepática (DTPH).


Palavras-chave: Endoscopia Gastrointestinal. Ductos Biliares. Ultrassonografia de Intervenção. Icterícia Obstrutiva. Endossonografia.

Síndrome de Mirizzi graus III e IV: tratamento cirúrgico

Mirizzi syndrome grades III and IV: surgical treatment

Ronald Reverdito; André de Moricz, TCBC-SP; Tércio de Campos, TCBC-SP; Adhemar Monteiro Pacheco Júnior, TCBC-SP; Rodrigo Altenfelder Silva, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(4):243-247 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a epidemiologia e os resultados do tratamento cirúrgico de doentes portadores de graus III e IV, mais avançados, da Síndrome de Mirizzi (SM) de acordo com a classificação de Csendes.
MÉTODOS: estudo retrospectivo, de corte transversal através da revisão de prontuários de 13 pacientes portadores de graus III e IV da SM operados de dezembro de 2001 a setembro de 2013, entre 3691 colecistectomias realizadas neste período.
RESULTADOS: a incidência da SM foi 0,6% (23 casos) e os graus III e IV perfizeram 0,35% deste número. Houve um predomínio de tipo IV (12 casos). O diagnóstico pré-operatório foi possível em 53,8% dos casos. A conduta preferencial foi derivação biliodigestiva (10 casos) e foi optado por drenagem com tubo "T" e sutura da via biliar em três ocasiões especiais. Três pacientes apresentaram fístula biliar resolvida com conduta expectante e um caso de coleperitônio necessitou reoperação. No seguimento ambulatorial dos pacientes que realizaram a anastomose biliodigestiva (oito), 50% estão assintomáticos, 25% apresentaram estenose da anastomose e 25% perderam seguimento. O tempo médio de acompanhamento foi 41,8 meses.
CONCLUSÃO: de incidência baixa e de diagnóstico pré-operatório em apenas metade dos casos, a SM em graus avançados tem na anastomose biliodigestiva sua melhor conduta, porém não isenta de morbimortalidade.


Palavras-chave: Síndrome de Mirizzi. Icterícia Obstrutiva. Epidemiologia. Terapêutica. Procedimentos Cirúrgicos Operatórios.

Alterações da parede gástrica após a utilização de balão intragástrico: estudo preliminar

Gastric wall changes after intragastric balloon placement: a preliminary experience

Luís Gustavo Santos Périssé; Paulo Cézar Marques Périssé, ECBC-RJ; Kelson Ferreira Ribeiro

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(4):286-288 : Nota Prévia

Resumo

OBJETIVO: avaliar a espessura da parede gástrica no momento do posicionamento do balão intragástrico (BIG), no momento de sua retirada e um mês após a retirada.
MÉTODOS: quinze pacientes obesos mórbidos foram submetidos à introdução de BIG sob anestesia geral. Em todos os pacientes foi feita infusão de 500 ml de água destilada e o balão foi insuflado com 5ml de água destilada. As medidas da espessura da parede gástrica foram feitas no antro, corpo e corpo alto utilizando-se um ecoendoscópio radial com frequência de 12MHz e zoom máximo.
RESULTADOS: a presença do BIG levou ao aumento da espessura da parede do corpo gástrico pelo aumento de espessura da sua camada muscular. Estas alterações são aparentemente transitórias já que após 30 dias da retirada do balão existiu uma tendência de retorno da espessura da parede aos valores observados antes do seu posicionamento.
CONCLUSÃO: a utilização do balão intragástrico para tratamento da obesidade determina aumento transitório da espessura da parede do corpo gástrico causado pelo aumento da camada muscular.


Palavras-chave: Obesidade Mórbida. Balão Gástrico. Endossonografia. Cirurgia Bariátrica. Estômago.

Biópsia percutânea transbiliar

Percutaneous transbiliary biopsy

Gustavo Vieira Andrade; Miguel Arcanjo Santos; Marconi Roberto Meira; Mateus Duarte Meira

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(1):107-108 : Nota Técnica

Resumo

A drenagem percutânea das vias biliares é um procedimento estabelecido para obstruções malignas, nos quais, muitas vezes, não se consegue um diagnóstico histológico. Descrevemos a técnica de biópsia da lesão obstrutiva através do acesso de drenagem biliar, utilizando um fórcipe de biópsia endoscópica 7F, amplamente disponível e alguns reutilizáveis. Esta técnica aplica-se a lesões dos ductos hepáticos, do hepático comum e de toda extensão do colédoco.


Palavras-chave: Biópsia Guiada por Imagem. Neoplasias dos Ductos Biliares. Icterícia Obstrutiva.

Técnica modificada para realização da gastro-jejunostomia endoscópica percutânea

Modified technique for percutaneous endoscopic gastrojejunostomy placement

Renzo Feitosa Ruiz; Matheus Cavalcante Franco; Carlos Kiyoshi Furuya Júnior; Marcos Eduardo Lera dos-Santos

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(4):413-415 : Nota Técnica

Resumo

A realização da gastro-jejunostomia endoscópica percutânea (PEG-J) proporciona nutrição além do ângulo de Treitz, e está associada à diminuição das complicações relacionadas à gastroparesia, como a pneumonia por aspiração. Existem diversas técnicas para realização da PEG-J descritas na literatura, com graus variáveis de sucesso técnico. Neste artigo propomos modificações na técnica de realização da PEG-J, a fim de reduzir o tempo do procedimento e minimizar o risco de insucesso.


Palavras-chave: Gastrostomia. Jejunostomia. Gastroparesia. Endoscopia Gastrointestinal.

Copyright 2019 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões