Orgão Oficial

CBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

Artigos Relacionados

26 resultado(s) para: Obesidade. Cirurgia Bariátrica. Derivação Gástrica. Qualidade de Vida.

Cirurgia bariátrica: repercussões na sexualidade da pessoa obesa

Bariatric surgery: impact on sexuality of the obese person

Maria Luiza Lobato Mariano, Maria Angela Boccara de Paula, Deomir Germano Bassi, Pedro Roberto de Paula

Rev. Col. Bras. Cir. 2014;41(6):412-420 : Artigo Original

Resumo

Objetivo: Conhecer as repercussões do tratamento cirúrgico na vivência da sexualidade da pessoa obesa. Métodos: Pesquisa quali/quantitativa realizada com 30 pacientes submetidos à gastroplastia em Y de Roux, à Fobi e Capella, há pelo menos um ano. Dados obtidos por meio de entrevista individual utilizando instrumento com 10 questões mistas e uma aberta, no período de maio e junho de 2011. Os dados objetivos foram quantificados em números absolutos e percentuais e, os subjetivos foram submetidos à análise por meio do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) e discutidos à luz do referencial publicado sobre a temática. Resultados: foram incluídos 30 pacientes com média de idade 44±12 anos, sendo 24 (80%) do sexo feminino e seis (20%) do masculino, 23 (77%) casados, 23 (96%) hipertensos e oito (33%) com diagnóstico de Diabetes Mellitus. Após a operação, 11 (37%) não relataram alteração no número de relações sexuais, porém 19 (63%) informaram que este número sofreu alteração, sendo que 16 (53%) afirmaram ter aumentado a frequência das relações sexuais, um (3%) relatou a diminuição da frequência, um (3%) não pratica mais o ato sexual e um (3%) não declarou a frequência. As ideias centrais (IC) levantadas originaram quatro DSC: Vivência da sexualidade feminina; Não vivência da sexualidade feminina; Vivência da sexualidade masculina; e Melhorias das comorbidades e fator psicológico. Conclusão: existem repercussões, de ordem física e emocional, positivas do tratamento cirúrgico da obesidade favorecendo a qualidade de vida, inclusive na sexualidade.


Palavras-chave: Obesidade mórbida, Comorbidade, Cirurgia Bariátrica, Sexualidade

Avaliação ultrassonográfica da síndrome do túnel do carpo antes e após cirurgia bariátrica

Ultrasound evaluation on carpal tunnel syndrome before and after bariatric surgery

Adham do Amaral e Castro, Thelma Larocca Skare, Paulo Afonso Nunes Nassif, Alexandre Kaue Sakuma, Bruno Luiz Ariede, Wagner Haese Barros

Rev. Col. Bras. Cir. 2014;41(6):426-433 : Artigo Original

Resumo

Objetivo: verificar a prevalência da STC em pacientes obesos candidatos à cirurgia bariátrica comparada com a prevalência em indivíduos não obesos e em pacientes já submetidos ao procedimento cirúrgico para verificar se as medidas de perda de peso influem na prevalência e gravidade dos sintomas. Métodos: três grupos de indivíduos foram estudados: 1) candidatos à cirurgia bariátrica (pré-operatório); 2) já submetidos ao tratamento cirúrgico bariátrico (pós-operatório) e 3) grupo controle. Foram coletados dados demográficos e clínicos referentes à síndrome do túnel do carpo. Foi realizada ultrassonografia para medição da área da secção transversa do nervo mediano para o diagnóstico da síndrome. Resultados: foram incluídos 329 indivíduos (114 no grupo pré-operatório, 90 no grupo pós-operatório e 125 controles). Houve maior prevalência de parestesias quando se comparou o grupo pré-operatório com o controle (p<0,00001). Houve diminuição das parestesias (p=0,0002) e da área da secção transversa do nervo mediano (p=0.04) nos pacientes do pós-operatório, mas não houve diferença significativa na prevalência geral da síndrome do túnel do carpo. Foi observada diferença significativa entre os grupos pré e pós-operatório (p=0,05) nos indivíduos que realizavam trabalho não manual. Conclusão: houve maior prevalência da síndrome do túnel do carpo entre o grupo pré-operatório comparado com o controle, mas não se observou diferença significativa entre os grupos pré e pós-operatório no geral. Houve diferença entre os grupos pré e pós-operatório dentre os trabalhadores não manuais.


Palavras-chave: Obesidade, Síndrome do Túnel do Carpo, Ultrassonografia, Cirurgia Bariátrica

Impacto da derivação gástrica em Y-de-Roux no perfil inflamatório e lipídico

Impact of Roux-en-Y gastric bypass on lipid and inflammatory profiles

Cleiton da Silva Oliveira; Bruna Teles Soares Beserra; Raphael Salles Granato Cunha; Ana Gabriela Estevam Brito; Rafaella Cristina Dimbarre de Miranda; Lúcia Andréia Zanette Ramos Zeni; Everson Araújo Nunes; Erasmo Benicio Santos de Moraes Trindade

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(5):305-310 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar o comportamento das proteínas de fase aguda e o perfil lipídico em pacientes submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux.
MÉTODOS: estudo prospectivo, constituído por três momentos: M1 - pré-cirúrgico (24 horas antes do procedimento cirúrgico); M2 - 30 dias pós-cirúrgico; e M3 - 180 dias pós-cirúrgico. Foram realizadas aferição antropométrica de peso, altura e IMC, como também determinação das concentrações das proteínas de fase aguda (proteína c reativa (PCR), albumina e alfa-1-glicoproteína-ácida) e de colesterol total, LDL-c, HDL-c e triacilglicerol.
RESULTADOS: participaram desse estudo 25 indivíduos, com média de idade de 39,28±8,07, sendo 72% do sexo feminino. Em todos os momentos do estudo observou-se diferença estatística significativa quanto à redução de peso e IMC. Verificou-se diminuição com diferença nas concentrações da PCR entre os momentos M1 e M3 (p=0,041); M2 e M3 (p=0,018). As concentrações da α1-GA reduziram e foram diferentes entre os momentos M1 e M2 (p=0,023); M1 e M3 (p=0,028). Os valores de albumina aumentaram, mas não diferiram entre os momentos. O colesterol total e o triacilglicerol diminuíram com diferença entre todos os momentos. As concentrações de LDL-c diminuíram e diferiram entre os momentos M1 e M2 (p=0,001); M1 e M3 (p=0,001). Os valores de HDL-c aumentaram, entretanto apenas diferiram entre os momentos M1 e M2 (p=0,050).
CONCLUSÃO: a derivação gástrica em Y-de-Roux promoveu diminuição nas concentrações plasmáticas da PCR e alfa-1-glicoproteína ácida, melhorando o perfil inflamatório e lipídico.


Palavras-chave: Derivação Gástrica. Obesidade. Mediadores da Inflamação. Perda de Peso.

Uso de bebida alcoólica em períodos pré e pós- operatório de cirurgia bariátrica

Use of alcohol before and after bariatric surgery

Ana Carolina Ribeiro de Amorim; Amanda Fernandes Oliveira de Souza; Ana Luisa Valadares Nascimento; Regiane Maio; Maria Goretti Pessoa de Araújo Burgos

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(1):3-8 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a ingestão de bebidas alcoólicas nos períodos pré e pós-operatório de cirurgia bariátrica.
MÉTODOS: os pacientes foram entrevistados no ambulatório de Cirurgia Geral do Hospital das Clínicas/UFPE, no período de julho/2011 a março/2012. Foram analisadas variáveis socioeconômicas, antropométricas e clínicas. A avaliação do consumo de álcool nos últimos 12 meses, foi realizada pelo questionário AUDIT C (alcohol use disorders identification test).
RESULTADOS: foram estudados 119 pacientes com média de idade de 41,23+11,30 anos, com predominância do sexo feminino (83,2%), raça não branca (55%), casados ou em união estável (65,5%), com ensino médio (40,3%) e ativo ao mercado de trabalho (37%). O peso no período pré-operatório foi 128,77+25,28Kg e IMC 49,09+9,26Kg/m2, classificado em obesidade classe III, e no pós-operatório foi 87,19+19,16Kg e IMC 33,04+6,21Kg/m2, classificado em obesidade classe I, com p<0,001. A doença mais frequente no pré (66,6%) e pós operatório (36,5%) foi a hipertensão. No período pré-operatório 26,6% faziam uso de álcool, sendo 2,2% uso de alto risco e no pós-operatório 35,1%, sendo 1,4% provável dependência, não sendo encontrada diferença significativa entre os grupos de pré e pós-cirúrgico (p = 0,337).
CONCLUSÃO: foi encontrada uma prevalência do uso alcoólico superior àquela detectada na população brasileira, no entanto não foi evidenciado consumo de alto risco/provável dependência, nem elevação deste consumo em período pós-operatório.


Palavras-chave: Obesidade Mórbida. Cirurgia Bariátrica. Bebidas Alcoólicas. Etanol. Perda de Peso.

Tratamento de tumor gastrointestinal estromal (GIST) durante cirurgia bariátrica

Treatment of gastrointestinal stromal tumor (GIST) during bariatric surgery

Fernando de Barros, tCBC/RJ; Guilherme Pinheiro Nahoum; Bruno Jorge de Almeida

Rev. Col. Bras. Cir. 2015;42(1):67-68 : Nota Técnica

Resumo

O tumor estromal gastrointestinal (GIST) é um tumor mesenquimal raro. Deve-se ter atenção especial quando o GIST apresenta-se em pacientes obesos durante o ato operatório. As ressecções laparoscópicas com técnicas padronizadas, como o bypass gástrico, têm sido descritos com bons resultados. Porém, a ressecção de GIST associada à gastrectomia vertical para o tratamento para a obesidade é rara, mas pode ser feito com segurança, dependendo da localização do tumor.


Palavras-chave: Obesidade. Obesidade Mórbida. Cirurgia Bariátrica. Gastrectomia. Complicações Pós-Operatórias. Tumores do Estroma Gastrointestinal.

Inclusão do duodeno no trânsito alimentar para prevenção ou correção de deficiências nutricionais resultantes da derivação gástrica em y de Roux no tratamento da obesidade

Duodenum inclusion in alimentary transit for preventing or correcting nutritional deficiencies resulting from Roux-en-y gastric bypass in obesity treatment

Reginaldo Ceneviva, ECBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(2):136-138 : Nota Técnica

Resumo

Complicações nutricionais e metabólicas podem se desenvolver após a derivação gástrica em Y de Roux (DGYR) quando há uma resposta exagerada às mudanças anatômicas e funcionais ou quando há suplementação nutricional inadequada. A desnutrição grave é rara, mas deficiências de vitamina B12, ferro, cálcio e tiamina, doença óssea metabólica e cálculos biliares são comuns após a DGYR. Dessas deficiências mencionadas, a de vitamina B12, de ferro, de cálcio e também a colelitíase, são causadas, ao menos parcialmente, pela exclusão do duodeno e jejuno proximal. Um novo procedimento com a manutenção do duodeno e do jejuno proximal no trânsito gastrointestinal, mediante interposição de alça jejunal, foi idealizado como operação primária para prevenir essas deficiências ou como cirurgia corretiva de desnutrição grave após DGYR com falha na resposta a exaustivas tentativas de tratamento conservador.


Palavras-chave: Obesidade Mórbida. Derivação Gástrica. Anastomose em-Y de Roux. Desnutrição. Cirurgia de Revisão.

Mastopexia de aumento após cirurgia bariátrica: avaliação da satisfação das pacientes e resultados cirúrgicos

Augmentation mastopexy after bariatric surgery: evaluation of patient satisfaction and surgical results

Wilson Cintra Junior, TCBC-SP; Miguel Luiz Antonio Modolin, ECBC-SP; Rodrigo Itocazo Rocha; Rolf Gemperli, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(3):160-164 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a satisfação das pacientes e os resultados cirúrgicos obtidos após a mastopexia com inclusão de implantes mamários.
MÉTODOS: estudo prospectivo com 20 pacientes consecutivas do sexo feminino, com média etária de 39,9 anos, que foram submetidas à mastopexia de aumento. Foram aplicadas entrevistas psicológicas semidirigidas nos períodos pré e pós-operatórios e cujas respostas foram tabuladas, divididas em categorias, e possibilitaram a avaliação da satisfação das pacientes. Foi realizada avaliação dos resultados cirúrgicos através da análise fotográfica por três cirurgiões plásticos independentes, nos períodos pré e pós-operatórios, que atribuíram notas aos seguintes itens: forma da mama, volume da mama, simetria entre as mamas, posicionamento do complexo aréolo-papilar e qualidade e extensão das cicatrizes.
RESULTADOS: dezenove pacientes (95%) referiram satisfação com o resultado cirúrgico obtido (p<0,001). A média das somatórias das notas atribuídas pelos três cirurgiões, referentes a cada paciente, variou entre 4,7 e 10, sendo a média geral de 7,28. Os resultados foram considerados bons ou ótimos para 65% da amostra e pobres para 8,4%.
CONCLUSÃO: houve satisfação de 95% das pacientes com os resultados obtidos pela mastopexia de aumento. A análise fotográfica dos resultados obteve nota média de 7,28, caracterizado como bom resultado, apesar da fraca concordância entre os avaliadores.


Palavras-chave: Mamoplastia. Implantes de Mama. Satisfação do Paciente. Obesidade Mórbida. Cirurgia Plástica.

Remissão do Diabetes Mellitus Tipo 2 dezoito meses após gastroplastia com derivação em Y-de-Roux

Type 2 Diabetes Mellitus remission eighteen months after Roux-en-Y gastric bypass

Marcelo Gomes Girundi, TCBC-MG

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(3):149-153 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a eficácia da gastroplastia com derivação em Y-de-Roux, em pacientes obesos e portadores de Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2), na melhoria do perfil glicêmico após 18 meses de seguimento.
MÉTODOS: foram submetidos à derivação gástrica em Y-de-Roux 468 pacientes com IMC >35 e portadores de DM2, no período de 1998 a 2010. Todos os pacientes tiveram a análise do controle glicêmico realizadas no terceiro, sexto, nono, 12º e 18º meses de pós-operatório. Os critérios diagnósticos de diabetes foram baseados no Posicionamento Oficial da Sociedade Brasileira de Diabetes, publicado em julho de 2011.
RESULTADOS: observou-se a remissão do DM2 em 410 pacientes (87,6%) após 18 meses da cirurgia, sendo essa diferença significativa com p-valor <0,001. A doença se manteve inalterada em 48 pacientes (10,3%), e dez pacientes (2,1%) permaneceram com o risco aumentado para DM2.
CONCLUSÃO: a gastroplastia com derivação em Y-de-Roux foi efetiva na promoção e manutenção do controle glicêmico em longo prazo.


Palavras-chave: Cirurgia Bariátrica. Diabetes Mellitus Tipo 2. Derivação Gástrica. Obesidade. Gastroplastia.

Alterações da parede gástrica após a utilização de balão intragástrico: estudo preliminar

Gastric wall changes after intragastric balloon placement: a preliminary experience

Luís Gustavo Santos Périssé; Paulo Cézar Marques Périssé, ECBC-RJ; Kelson Ferreira Ribeiro

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(4):286-288 : Nota Prévia

Resumo

OBJETIVO: avaliar a espessura da parede gástrica no momento do posicionamento do balão intragástrico (BIG), no momento de sua retirada e um mês após a retirada.
MÉTODOS: quinze pacientes obesos mórbidos foram submetidos à introdução de BIG sob anestesia geral. Em todos os pacientes foi feita infusão de 500 ml de água destilada e o balão foi insuflado com 5ml de água destilada. As medidas da espessura da parede gástrica foram feitas no antro, corpo e corpo alto utilizando-se um ecoendoscópio radial com frequência de 12MHz e zoom máximo.
RESULTADOS: a presença do BIG levou ao aumento da espessura da parede do corpo gástrico pelo aumento de espessura da sua camada muscular. Estas alterações são aparentemente transitórias já que após 30 dias da retirada do balão existiu uma tendência de retorno da espessura da parede aos valores observados antes do seu posicionamento.
CONCLUSÃO: a utilização do balão intragástrico para tratamento da obesidade determina aumento transitório da espessura da parede do corpo gástrico causado pelo aumento da camada muscular.


Palavras-chave: Obesidade Mórbida. Balão Gástrico. Endossonografia. Cirurgia Bariátrica. Estômago.

Relação entre ansiedade, depressão e qualidade de vida com a intensidade da sudorese reflexa após simpatectomia torácica por videocirurgia para tratamento da hiperidrose primária

Relationship between anxiety, depression and quality of life with the intensity of reflex sweating after thoracoscopic sympathectomy for treatment of primary hyperhidrosis

Luciara Irene de Nadai Dias; Eliana Cristina Martins Miranda; Ivan Felizardo Contrera Toro; Ricardo Kalaf Mussi

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(5):354-359 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a intensidade de sudorese reflexa com o grau de ansiedade e sua interferência na qualidade de vida de indivíduos submetidos à simpatectomia por videotoracoscopia nos períodos pré e pós-operatório.
MÉTODOS: foram avaliados 54 pacientes com média de idade de 26 anos (16 a 49 anos), submetidos à simpatectomia em nível R3-R4. Dois questionários foram aplicados em três momentos diferentes: "Qualidade de vida em pacientes com hiperidrose primária e "Escala para ansiedade e depressão".
RESULTADOS: dos pacientes estudados, 93% mostrou melhora significativa na qualidade de vida após 30 dias da cirurgia, com os efeitos remanescentes após seis meses. Não houve complicações pós-operatórias. A análise mostrou que o nível de ansiedade do paciente é altamente correlacionado com a intensidade da sudorese reflexa após 30 e 180 dias.
CONCLUSÃO: a simpatectomia torácica por videotoracoscopia melhora a qualidade de vida de pacientes com hiperidrose primária, mesmo com o surgimento de sudorese reflexa. A ansiedade está diretamente relacionada com a intensidade da sudorese reflexa, sem comprometer o grau de satisfação do paciente.


Palavras-chave: Hiperidrose. Qualidade de Vida. Ansiedade. Simpatectomia. Cirurgia Torácica Vídeoassistida.

Cirurgia bariátrica: é razoável antes dos 16 anos de idade?

Bariatric surgery: is it reasonable before the age of 16?

Lilian Helena Polak Massabki; Letícia Esposito Sewaybricker; Keila Hayashi Nakamura; Roberto Teixeira Mendes; Antonio de Azevedo Barros Filho; Maria Ângela Reis de Góes Monteiro Antonio; Mariana Porto Zambon

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(5):360-367 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a gravidade da obesidade em crianças e adolescentes pela presença de comorbidades e pela potencial indicação de cirurgia bariátrica.
MÉTODOS: estudo transversal com dados clínicos e laboratoriais da primeira consulta de pacientes do ambulatório de obesidade infantil em um hospital terciário no período de 2005 a 2013. Os pacientes foram divididos em grupos com ou sem potencial indicação cirúrgica, e associados com idade, sexo, peso de nascimento, idade de início da obesidade, escore z de IMC, presença de acantose nigricans, pressão arterial, colesterol total e frações, triglicérides, glicemia e insulina de jejum, HOMA1-IR, PCR e VHS. O grupo com potencial indicação cirúrgica incluiu: IMC >40 ou IMC entre 35-40 com comorbidades (Triglicérides >130mg/dl, Glicemia >100mg/dl, HOMA1-IR >3,16, Colesterol total >200mg/dl, LDL >130mg/dl e HDL <45mg/dl), independente da idade, consolidação das epífises e tratamento prévio.
RESULTADOS: de 296 pacientes incluídos no estudo, 282 (95,3%) tinham menos de 16 anos. A alteração mais frequente foi a do HDL (63,2%), seguido do HOMA1-IR (37,5%). Do grupo de 66 pacientes com potencial indicação cirúrgica (22,3%), apenas dez (15,1%) tinham mais de 16 anos. Acantose nigricans, as médias de HOMA1-IR, insulina, PCR, VHS, idade, escore z de IMC e pressões sistólica e diastólica foram significantes no grupo com potencial indicação cirúrgica.
CONCLUSÃO: os resultados sugerem que a cirurgia bariátrica, poderia estar indicada pelo IMC e presença de comorbidades, em crianças e adolescentes com menos de 16 anos.


Palavras-chave: Obesidade Pediátrica. Criança. Adolescente. Cirurgia Bariátrica.

Dose ED90 de Sugamadex para reverter o bloqueio neuromuscular com rocurônio em pacientes obesos

Sugammadex ED90 dose to reverse the rocuronium neuromuscular blockade in obese patients

Mauro Prado da Silva; Christiano Matsui; Daniel Dongiou Kim; Joaquim Edson Vieira; Carlos Alberto Malheiros; Ligia Andrade Silva Telles Mathias

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(1):41-45 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVOS: determinar a ED90 (dose mínima eficaz em 90% dos pacientes) de sugamadex para a reversão de bloqueio neuromuscular (BNM) moderado induzido pelo rocurônio em pacientes com obesidade grau III submetidos à cirurgia bariátrica.
MÉTODOS: estudo prospectivo com o método de projeção sequencial para cima e para baixo da moeda enviesada. As seguintes doses foram escolhidas: 2,0mg/kg-1, 2,2mg/kg-1, 2,4mg/kg-1, 2,6mg/kg-1, 2,8mg/kg-1. A reversão completa de BNM induzido por rocurônio considerou uma relação T4/T1 ≥0,9 na medida do TOF. Após a indução da anestesia geral e calibração do estimulador de nervo periférico e acelerômetro, rocurônio 0,6mg/kg-1 foi injetado. Infusão contínua de propofol e remifentanil, e bolus intermitente de rocurônio foram injetados durante todo o procedimento.
RESULTADOS: trinta e um pacientes foram avaliados, 26 dos quais bem-sucedidos e cinco sem reversão completa do BNM moderado promovido pelo sugamadex. O tempo médio para completar reversão de BNM foi 213 segundos (172 a 300 segundos; mediana, 25-75%). O ED90 de sugamadex calculado pela regressão foi de 2,39mg/kg-1 com um intervalo de confiança de 95% (2,27 a 2,46mg/kg-1).
CONCLUSÃO: o ED90 de sugamadex em pacientes com obesidade grau III ou superior foi 2,39mg/kg-1.


Palavras-chave: Obesidade. Ciclodextrinas. Relação Dose-Resposta a Droga.

Impacto do curativo de espuma não aderente com Ibuprofeno na vida dos pacientes com úlcera venosa

Impact of non-adherent Ibuprofen foam dressing in the lives of patients with venous ulcers

Geraldo Magela Salomé; Lydia Masako Ferreira, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(2):116-124 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a dor em pacientes portadores de úlcera venosa de membros inferiores que utilizaram curativo de espuma não aderente com Ibuprofeno (CEI).
MÉTODOS: estudo prospectivo de pacientes portadores de úlceras venosas de membros inferiores tratados no período de abril de 2013 a agosto de 2014. Foram utilizados os questionários Escala Numérica e Questionário de Dor de McGille, as avaliações eram feitas no momento da inclusão do paciente no estudo e a cada oito dias, totalizando cinco consultas. Os pacientes foram divididos em dois grupos: 40 no Grupo Estudo (GE), que foram tratados com CEI, e 40 no Grupo Controle (GC), tratados com curativo primário, conforme o tipo de tecido e exsudato.
RESULTADOS: na primeira consulta os pacientes de ambos os grupos relataram dor intensa. No quinto dia os pacientes do GE relataram ausência de dor e a maioria do GC relatou dor moderada. Com relação ao Questionário de Dor de McGill, a maioria dos pacientes de ambos os grupos, no início da coleta de dados, relataram sensações relacionadas aos descritores sensorial, afetivo, avaliativo e miscelânea, sendo que entre os pacientes do GE houve discreta melhora após a segunda consulta. Após a terceira consulta já não referiram os descritores citados. Os pacientes do GC manifestaram todas as sensações desses descritores até quinta a consulta.
CONCLUSÃO: o curativo de espuma não aderente com Ibuprofeno é eficaz na redução da dor de pacientes portadores de úlceras venosas.


Palavras-chave: Úlcera Varicosa. Extremidade Inferior. Medição da Dor.Ibuprofeno. Qualidade de vida. Assistência Centrada no Paciente.

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade interfere nos resultados da cirurgia bariátrica?

Does the Attention Deficit Hyperactivity Disorder interfere with bariatric surgery results?

Doglas Gobbi Marchesi, TCBC-ES; Jovana Gobbi Marchesi Ciriaco; Gustavo Peixoto Soares Miguel, TCBC-ES; Gustavo Adolfo Pavan Batista, ACBC-ES; Camila Pereira Cabral, ACBC-ES; Larissa Carvalho Fraga

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(2):140-146 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVOS: analisar possíveis efeitos negativos do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) no sucesso da cirurgia bariátrica.
MÉTODOS: foram avaliados 40 pacientes submetidos à cirurgia bariátrica e com acompanhamento pós-operatório regular mínimo de um ano. Todos foram submetidos ao questionário preconizado na quarta edição do Diagnostic and Statistical Manual (DSM-IV) da Associação Americana de Psiquiatria para TDAH e analisados os dados pós operatórios.
RESULTADOS: quinze (38%) pacientes apresentaram questionário positivo para TDAH. Os pacientes com TDAH apresentaram IMC maior do que os pacientes sem o transtorno (45,8x40,9 Kg/m2; p=0,017), mantendo-se a diferença em todas as etapas do pós-operatório. Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa no sucesso da cirurgia (33,3% x 66,7%; p=0,505), e na redução do IMC (30,71% x 31,88%; p=0,671) após um ano do procedimento.
CONCLUSÃO: pacientes com TDAH apresentam maior IMC, entretanto, a presença do TDAH não apresenta influência no sucesso da cirurgia bariátrica e na redução do IMC.


Palavras-chave: Cirurgia Bariátrica. Obesidade. Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade.

Análise das condições clínicas de pessoas obesas em período pré e pós-operatório de cirurgia bariátrica

Analysis of obese patients' medical conditions in the pre and postoperative periods of bariatric surgery

Anderson da Silva Rêgo; Aline Zulin; Sandro Scolari; Sônia Silva Marcon; Cremilde Aparecida Trindade Radovanovic

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(2):171-178 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: comparar as condições clínicas de pacientes obesos em período pré e pós-operatório de cirurgia bariátrica.
MÉTODO: estudo descritivo, retrospectivo, de abordagem quantitativa, por meio de consulta ao prontuário de 134 pacientes submetidos à cirurgia bariátrica no período de 2009 a 2014. Os dados foram coletados entre os meses de setembro e novembro de 2015. Foi realizada análise estatística descritiva e comparativa das variáveis antropométricas, metabólicas, bioquímicas e clínicas, considerando seis meses antes e após a cirurgia.
RESULTADOS: a maioria dos pacientes era do sexo feminino (91,8%), com maior prevalência (35%) na faixa etária de 18 aos 29 anos, com ensino médio completo (65,6%) e obesidade grau III (60,4%). Seis meses após a cirurgia, a redução do peso e o perfil lipídico foram significativos em ambos os sexos, mas o impacto nos parâmetros bioquímicos, antropométricos, metabólicos e clínicos foi significativo apenas nos indivíduos do sexo feminino, com redução das morbidades associadas à obesidade como hipertensão arterial, diabetes mellitus, dislipidemia e síndrome metabólica e na utilização de medicamentos.
CONCLUSÃO: a cirurgia bariátrica foi eficaz na perda ponderal de peso, com melhoras nos parâmetros antropométricos, metabólicos e bioquímicos e na redução de morbidades associadas à obesidade.


Palavras-chave: Obesidade. Cirurgia bariátrica. Avaliação Nutricional.

Paratireoidectomia na doença renal crônica: efeitos no ganho de peso e na melhora da qualidade de vida

Parathyroidectomy in chronic kidney disease: effects on weight gain and on quality of life improvement

Henyse Gomes Valente-Da-Silva; Maria Cristina Araújo Maya, TCBC-RJ; Annie Seixas Moreira

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(3):263-269 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar o benefício de paratireoidectomia em pacientes submetidos à hemodiálise, em relação ao estado nutricional e bioquímico, composição corporal e a qualidade de vida.
MÉTODOS: estudo longitudinal envolvendo 28 adultos em programa de hemodiálise, com hiperparatireoidismo secundário grave, avaliados antes e um ano após a cirurgia. Critérios de inclusão: níveis de paratormônio dez vezes superior ao valor de referencia e doença renal crônica em programa de hemodiálise. O índice de massa corporal foi utilizado para classificação do estado nutricional. A bioimpedância elétrica para avaliação da composição corporal. A análise bioquímica incluiu dosagem de lipídios e marcadores do metabolismo ósseo. A qualidade de vida foi avaliada pelo questionário SF36 (Short Form Health Survey). Todos os pacientes foram submetidos à paratireoidectomia total com implante em antebraço.
RESULTADOS: houve ganho significativo de peso corporal (61,7 vs 66,0 kg; p<0,001), da massa celular corporal (22,0 vs 24,5 kg/m2; p=0,05) e da qualidade de vida (p=0,001) após a cirurgia. Com relação ao metabolismo ósseo, PTH intacto, cálcio, fósforo e fosfatase alcalina, se estabilizaram e houve melhora em parâmetros bioquímicos, tais como albumina e hemoglobina.
CONCLUSÃO: a paratireoidectomia melhora a sobrevida em pacientes de hemodiálise e está associada a aumento de peso, ganho de massa óssea e melhoria na qualidade de vida.


Palavras-chave: Paratireoidectomia. Insuficiência Renal Crônica. Sobrevida. Qualidade de Vida. Avaliação Nutricional.

Cuidados perioperatórios em cirurgia bariátrica no contexto do projeto ACERTO: realidade e o imaginário de cirurgiões em um hospital de Cuiabá

Perioperative care in bariatric surgery in the context of the ACERTO project: reality versus surgeons assumptions in a Cuiabá hospital

Jacqueline Jéssica De-Marchi, ACBC-MT; Mardem Machado De-Souza, TCBC-MT; Alberto Bicudo Salomão, TCBC-MT; José Eduardo de Aguilar Nascimento, TCBC-MT; Anyelle Almada Selleti; Erik de-Albuquerque; Katia Bezerra Veloso Mendes

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(3):270-277 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: verificar o grau de conhecimento entre cirurgiões, sobre as recomendações do Projeto ACERTO em cirurgia bariátrica, correlacionando o “imaginário”, sobre suas prescrições, e a “realidade”, através de dados de prontuários de seus pacientes.
MÉTODOS: estudo observacional longitudinal prospectivo comparativo entre o “imaginário” dos cirurgiões, obtido através de respostas de questionário sobre condutas recomendadas pelo ACERTO e a análise de dados clínicos “reais” encontrados em prontuários de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica. Foram analisados: jejum pré-operatório, realimentação precoce, hidratação venosa perioperatória, antibioticoprofilaxia, uso de sondas e drenos, analgesia e profilaxia de náuseas e vômitos. Foram confrontadas as respostas de sete cirurgiões e dados de 200 prontuários médicos.
RESULTADOS: todos os cirurgiões entrevistados conheciam o Projeto ACERTO. Cinco (72%) responderam que seguiam o protocolo completamente. O tempo mediano de jejum pré-operatório foi maior do que o relatado pelos cirurgiões (p<0,05). Os pacientes receberam realimentação precoce em 96,5% dos casos. O volume mediano de fluidos prescritos nas primeiras 24 horas foi 4000ml, condizente com a entrevista. Em relação à antibioticoprofilaxia, uso de sondas e drenos, analgesia e prevenção de náuseas e vômitos, não houve diferença entre o respondido e o constatado nos prontuários.
CONCLUSÃO: o Projeto ACERTO era bem praticado entre os cirurgiões pesquisados, havendo boa correlação entre o “imaginário” e “realidade” dos cuidados perioperatórios prescritos em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica.


Palavras-chave: Cirurgia Bariátrica. Cuidados Pós-Operatórios. Cuidados Intraoperatórios. Medicina Baseada em Evidências.

Avaliação da qualidade de vida de pacientes portadores de hiperidrose primária submetidos à simpatectomia videotoracoscópica

Evaluation of the quality of life of patients with primary hyperhidrosis submitted to videothoracoscopic sympathectomy

Sandoval Lage da Silva Sobrinho; Rossano Kepler Alvim Fiorelli; Maria Ribeiro Santos Morard

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(4):323-327 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a qualidade de vida de pacientes submetidos à simpatectomia por videotoracoscopia para tratamento de hiperidrose primária.
MÉTODOS: foram avaliados os pacientes submetidos à simpatectomia por videotoracoscopia para tratamento de hiperidrose primária pela equipe de cirurgia torácica do Hospital Universitário Gafrée e Guinle-UNIRIO entre julho de 2004 e agosto de 2013. Foi aplicado um questionário sobre qualidade de vida relacionada à hiperidrose desde o pré-operatório até um ano após a operação.
RESULTADOS: o questionário foi aplicado em 122 pacientes com média de idade de 25 anos, sendo 57% mulheres. Quanto à severidade da hiperidrose primária, 83% dos pacientes referiam como pouco tolerável ou intolerável, associada com grande limitação da qualidade de vida, sendo esta pobre ou muito pobre em 82% dos casos. No pós operatório a hiperidrose compensatória ocorreu em 78% dos pacientes, entretanto foi considerada como imperceptível ou pouco perceptível por 85% destes pacientes, classificando-a como aceitável. Em 15% dos pacientes a hiperidrose compensatória foi classificada como perturbadora.
CONCLUSÃO: a simpatectomia videotoracoscópica melhora a qualidade de vida dos pacientes com hiperidrose primária. A hiperidrose compensatória transitória ocorreu na maioria dos pacientes, mas não alterou de maneira significativa a melhora da qualidade de vida.


Palavras-chave: Hiperidrose. Simpatectomia. Qualidade de Vida.

Aspectos fisiopatológicos da síndrome pós-ressecção anterior do reto para o tratamento de câncer retal

Pathophysiological aspects of the low anterior resection syndrome for treatment of rectal cancer

Kelly Cristine de Lacerda Rodrigues Buzatti; Andy Petroianu

Rev. Col. Bras. Cir. 2017;44(4):397-402 : Artigo de Revisão

Resumo

O número de pacientes com distúrbios funcionais intestinais em decorrência das operações para o tratamento do câncer retal tem aumentado durantes as últimas décadas. Alterações anatômicas e funcionais após a retirada do reto provocam aumento da frequência evacuatória, urgência evacuatória, evacuações múltiplas e incontinência para fezes e flatos, caracterizando a síndrome da ressecção anterior baixa ou LARS - "low anterior resection syndrome". Este artigo apresenta uma revisão geral do tema, com ênfase para conceitos atuais e aspectos fisiopatológicos de distúrbios funcionais do intestino após o tratamento cirúrgico do câncer retal. É fundamental que o cirurgião compreenda esses mecanismos, para melhor abordagem dos pacientes e restabelecimento da sua qualidade de vida.


Palavras-chave: Neoplasias Retais. Complicações Pós-Operatórias. Incontinência Fecal. Qualidade de Vida. Escores de Disfunção Orgânica.

Balões intragástricos em obesos de alto risco em um centro brasileiro: experiência inicial

Intragastric balloons in high-risk obese patients in a Brazilian center: initial experience

Alana Costa Borges; Paulo César Almeida; Stella M. T. Furlani; Marcelo de Sousa Cury; Shantanu Gaur

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(1):1-5 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: identificar a eficácia em curto prazo, a tolerância e as complicações em obesos mórbidos de alto risco, tratados com balão intragástrico como ponte para cirurgia.
MÉTODOS: estudo de análise post-hoc em um hospital acadêmico brasileiro durante o período de 2010 a 2014, de 23 pacientes adultos com IMC de 48kg/m2 que receberam um único balão intragástrico de ar ou líquido. Eficácia foi definida como perda de excesso de peso de 10%, e complicações como eventos adversos consequentes ao balão intragástrico diagnosticados após o período acomodativo inicial. Expressaram-se os resultados antropométricos com média ± desvio padrão, comparando os grupos com testes T Pareado / T de Student, quando apropriado, com p<0,05 considerado estatisticamente significante.
RESULTADOS: os balões foram efetivos em 91,3% dos pacientes, permaneceram in situ por em média 5,5 meses e a maioria deles (65,2%) era de ar, com perda média de excesso peso de 23,7kg±9,7 (perda de excesso de peso de 21,7%±8,9) e redução média de IMC de 8,3kg/m2±3,3. As complicações (17,3%) compreenderam desconforto abdominal, deflação do balão e intolerância tardia, sem casos graves. A maioria dos participantes (82,7%) não experimentou efeitos adversos, seus balões intragástricos foram extraídos em tempo, sem intercorrências e 52,2% desses pacientes submeteram-se à cirurgia bariátrica no intervalo de um mês.
CONCLUSÃO: no nosso centro, balões intragástricos podem ser usados com sucesso como procedimento inicial de perda ponderal, com boa tolerância e taxas aceitáveis de complicações.


Palavras-chave: Balão Gástrico. Risco. Obesidade Mórbida. Cirurgia Bariátrica.

Perfil antropométrico e clínico de pacientes pós-bariátricos submetidos a procedimentos em cirurgia plástica

Anthropometric and clinical profiles of post-bariatric patients submitted to procedures in plastic surgery

Simone Corrêa Rosa; Jefferson Lessa Soares de Macedo, TCBC-DF; Luiz Augusto Casulari; Lucas Ribeiro Canedo; João Vitor Almeida Marques

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(2):1-10 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar o perfil de pacientes submetidos à cirurgia plástica pós-bariátrica no Hospital Regional da Asa Norte, Brasília, DF.
MÉTODOS: estudo prospectivo, descritivo e analítico de pacientes submetidos à gastroplastia em Y- Roux e, posteriormente, à cirurgia plástica, no período de janeiro de 2011 a dezembro de 2016. Foram avaliados o índice de massa corporal antes da gastroplastia e depois da cirurgia plástica, as complicações pós-operatórias e as comorbidades.
RESULTADOS: foram estudados 139 pacientes (130 mulheres e nove homens) com média de idade de 41 anos e submetidos a 233 operações. O IMC médio no momento da cirurgia plástica foi de 27,44Kg/m2. A média de perda de peso foi de 47,02Kg e a média de IMC máximo foi de 45,17Kg/m2. O tempo médio entre a cirurgia bariátrica e a cirurgia plástica foi de 42 meses. As comorbidades antes da cirurgia plástica mais importantes foram: hipertensão arterial (11,5%), artropatia (5,4%), diabetes mellitus (5%) e síndrome metabólica (4,3%) (p<0,01). Dos 139 pacientes operados, 76,97% foram submetidos à abdominoplastia seguida de mamoplastia (42,46%), ritidoplastia (17,27%) e braquioplastia (13,67%). Quatorze (13,08%) pacientes foram submetidos à herniorrafia combinada à abdominoplastia. Abdominoplastia em âncora foi feita em 19,42%. A taxa de complicações pós-operatórias foi de 26,65%.
CONCLUSÃO: o perfil epidemiológico dos pacientes pós-bariátricos que foram submetidos a cirurgia plástica foi semelhante ao relatado na literatura, exceto pela baixa taxa de cirurgias associadas e complicações pós-operatórias. A cirurgia plástica nos pacientes pós-bariátricos gerou uma melhora da qualidade de vida na maioria desses pacientes.


Palavras-chave: Cirurgia Bariátrica. Cirurgia Plástica. Abdominoplastia. Complicações Pós-Operatórias.

Fatores preditivos da perda de seguimento de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica

Predictors of poor follow-up after bariatric surgery

Giselle de Queiroz Menezes Batista Belo; Luciana Teixeira de Siqueira; Djalma A. Agripino Melo Filho; Flávio Kreimer, TCBC-PE; Vânia Pinheiro Ramos; Álvaro Antônio Bandeira Ferraz, TCBC-PE

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(2):1-8 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: identificar os fatores preditivos da perda de seguimento de pacientes submetidos à derivação gástrica em Y de Roux e gastrectomia vertical num período de 48 meses.
MÉTODOS: estudo de coorte, retrospectivo, no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2012. Treze variáveis foram analisadas e comparadas à perda de seguimento.
RESULTADOS: entre os 559 pacientes estudados, verificou-se grande redução na frequência (43,8%) às consultas a partir do segundo ano de pós-operatório com uma perda significativa no quarto ano (70,8%). Na análise univariada, apenas a variável "excesso de peso" esteve associada à perda de seguimento. A proporção de excesso de peso (>49,95kg) foi maior no grupo de seguimento com maior perda (>3) (p=0,025). Na regressão logística, os pacientes expostos a um maior excesso de peso (>49,95kg) apresentavam um risco duas vezes maior para perda de seguimento (>3 perdas) (OR=2,04; 1,15-3,62; p=0,015). Na análise univariada, no 48º mês do seguimento pós-operatório, apenas a variável mesorregião de procedência esteve associada à perda de seguimento (p=0,012).
CONCLUSÃO: houve uma perda de seguimento progressiva a partir do segundo ano pós-operatório. Entre os fatores analisados, apenas a variável "excesso de peso" maior do que 49,95kg no pré-operatório esteve associada à perda de seguimento médico-cirúrgico. No 48º mês do período pós-operatório houve uma maior prevalência de perda de seguimento médico-cirúrgico para os pacientes fora do perímetro da cidade do Recife (51%, p=0,052).


Palavras-chave: Obesidade. Cirurgia Bariátrica. Derivação Gástrica. Perda de Seguimento.

Percepção da imagem corporal em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica

Perception of body image by patients undergoing bariatric surgery

Rosana Maria Resende Lacerda; Christiane Ramos Castanha; Alessandra Ramos Castanha; Josemberg Marins Campos, TCBC-PE; Álvaro Antônio Bandeira Ferraz, TCBC-PE; Lucio Vilar

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(2):1-8 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: investigar as mudanças sofridas na percepção da imagem corporal em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica, avaliando a acurácia/inacurácia na estimativa do tamanho corporal e a satisfação/insatisfação com os corpos após a cirurgia.
MÉTODOS: pesquisa foi realizada no ambulatório de Cirurgia Geral do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco. Participaram 36 pacientes com idade a partir de 18 anos submetidos à cirurgia bariátrica. Foram realizados estudos transversal e quantitativo com a utilização da Escala de Figuras de Silhuetas.
RESULTADOS: na análise descritiva do escore de distorção e insatisfação dos pacientes com a imagem corporal, percebeu-se que a média da distorção foi positiva (média= 6,43kg/m2), indicando que a maioria das pessoas se vê maior do que realmente é. Em contrapartida, na insatisfação foi encontrada uma média negativa (média= -6,91kg/m2), indicando que a maioria dos pacientes avaliados tem como "meta" um IMC menor do que aquele apontado como atual (ou seja, gostaria de ter uma silhueta menor). Quanto à satisfação com o tamanho da silhueta, apenas 11,8% das mulheres gostaram do resultado pós-cirúrgico, enquanto que entre os homens houve 50% de satisfação.
CONCLUSÃO: embora a cirurgia bariátrica tenha diminuído significativamente o IMC, os pacientes apresentaram, em sua maioria, insatisfação com o peso corporal, percebendo-o maior do que realmente era, caracterizandose, assim, uma inacurácia perceptiva.


Palavras-chave: Percepção. Imagem Corporal. Satisfação do Paciente. Índice de Massa Corporal. Cirurgia Bariátrica.

Avaliação da qualidade de vida, perda de peso e comorbidades de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica

Evaluation of quality of life, weight loss and comorbidities of patients undergoing bariatric surgery

Christiane Ramos Castanha; Álvaro Antônio Bandeira Ferraz, TCBC-PE; Alessandra Ramos Castanha; Giselle de Queiroz Menezes Batista Belo; Rosana Maria Resende Lacerda; Lúcio Vilar

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(3):1-9 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: mensurar a eficácia da perda de peso, analisar a evolução de comorbidades, investigar a qualidade de vida e avaliar o protocolo BAROS (Bariatric Analysis and Reporting Outcome System) no pós-operatório de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica.
MÉTODOS: estudo transversal e quantitativo, com força de verdade de 95% (P=0,05), de 103 pacientes submetidos à Gastrectomia Vertical SLEEVE (40) e à Derivação Gástrica em Y de Roux (63), a partir de quatro meses de pós-operatório. A pesquisa foi realizada no Ambulatório de Cirurgia Geral do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, tendo sido utilizado o protocolo BAROS.
RESULTADOS: a maioria dos pacientes era do sexo feminino (89,3%). A média de idade foi de 44,23 anos. A média de perda percentual do excesso de peso foi de 69,35%. A média de tempo de seguimento pós-cirúrgico foi de 41,87 meses (±37,35). As comorbidades com maior percentagem de resolução foram: apneia do sono (90,2%), diabetes (80,7%) e hipertensão (70,8%). As complicações mais frequentes foram queda de cabelo (79,6%), deficiência nutricional (37,9%) e anemia (35%). O protocolo BAROS demonstrou que a qualidade de vida foi avaliada de forma positiva em 93,2% dos casos. O questionário Moorehead-Ardelt demonstrou que a qualidade de vida "melhorou" ou "melhorou muito" para 94,1% dos pacientes.
CONCLUSÃO: a cirurgia bariátrica demonstrou ser um procedimento eficaz no tratamento da obesidade mórbida e no controle das comorbidades. A análise da qualidade de vida foi avaliada de forma positiva através do protocolo BAROS.


Palavras-chave: Cirurgia Bariátrica. Comorbidade. Obesidade. Perda de Peso. Qualidade de Vida.

Cirurgia bariátrica robótico-assistida: análise de série de casos e comparação com via laparoscópica

Robotic-assisted bariatric surgery: case series analysis and comparison with the laparoscopic approach

Alexandre Amado Elias, TCBC-SP; Marcelo Roque-de-Oliveira; Josemberg Marins Campos, TCBC-PE; Walter Takeiti Sasake; Álvaro Antônio Bandeira, TCBC-PE; Lyz Bezerra Silva; Brenda Ferreira; Renato Massaru Ito; Henrique Yoshio Shirozaki; Fernanda Antico Benetti; Laércio da Silva Paiva; Arthur Belarmino Garrido Júnior, TCBC-SP

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(3):1-9 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: relatar uma série de casos de cirurgia bariátrica robótica no tratamento da obesidade no Brasil.
MÉTODOS: foram avaliados pacientes submetidos à cirurgia bariátrica robótica no Instituto Garrido, e realizada comparação com grupo submetido à cirurgia laparoscópica convencional.
RESULTADOS: foram analisados 45 pacientes, com média de idade de 39,44 anos, sendo 34 do sexo feminino, com média de IMC inicial de 41,26Kg/m2. Dentre as cirurgias realizadas, 91,11% foram bypass gástrico em Y de Roux, enquanto 8,89% foram do tipo gastrectomia vertical. A média de tempo total de cirurgia foi de 158 (±56,54) minutos, com tempo médio de docking de 7,93 (±3,9) minutos e tempo de console 113,0 (±41,4) minutos. A média de dor apresentada na recuperação pós-anestésica foi de 2,61 (±3,30) pontos, em escala de 0 a 10, com quatro pacientes apresentando sinais leves de náusea, respondendo bem ao tratamento medicamentoso. Somente um paciente necessitou internação em UTI por um período de dois dias após a cirurgia, devido à cardiopatia prévia. Em dois casos ocorreram hérnia incisional em sítio de trocater, tratados cirurgicamente, sem posteriores complicações. Na comparação entre os grupos de cirurgia robótica versus laparoscópica, foram selecionados 45 pacientes para cada grupo. O tempo operatório foi significativamente mais longo na via robótica, sendo a maior parte das outras variáveis equivalentes, inclusive controle pós-operatório de comorbidades.
CONCLUSÃO: a cirurgia bariátrica robótica é um procedimento seguro, com resultados comparáveis à cirurgia laparoscópica.


Palavras-chave: Obesidade. Gastroplastia. Robótica. Cirurgia Bariátrica.

Repercussões em longo prazo da derivação gástrica em Y de Roux em população de baixa renda: avaliação após dez anos de cirurgia

Long-term repercussions of Roux-en-Y gastric bypass in a low-income population: assessment ten years after surgery

Francisco Felippe de Araújo Rolim; Fernando Santa Cruz; Josemberg Marins Campos, TCBC-PE; Álvaro Antônio Bandeira Ferraz, TCBC-PE

Rev. Col. Bras. Cir. 2018;45(4):1-9 : Artigo Original

Resumo

OBJETIVO: avaliar a evolução ponderal, nutricional e a qualidade de vida de pacientes de baixa renda, após dez anos de derivação gástrica em Y de Roux (DGYR).
MÉTODOS: estudo longitudinal, retrospectivo e descritivo, que avaliou a perda do excesso de peso, o reganho de peso, a evolução da hipertensão arterial, do diabetes mellitus tipo 2, da anemia e da hipoalbuminemia em 42 pacientes de classes sociais D e E submetidos à DGYR. A qualidade de vida foi avaliada através do Bariatric Analysis and Reporting Outcome System(BAROS).
RESULTADOS: dos 42 pacientes, 68,3% se definiram como não praticantes de atividade física regular, e somente 44,4% e 11,9% tinham acompanhamento médico e nutricional regulares, respectivamente. Foi encontrada média da perda do excesso de peso de 75,6%±12 (IC=71,9-79,4) e perda ponderal insuficiente apenas em um paciente. O reganho ponderal médio foi de 22,3%±16,2 (IC=17,2-27,3), com 64,04% da amostra apresentando reganho maior do que 15% do peso mínimo. 52,3% da amostra apresentou anemia após dez anos de cirurgia e 47,6% deficiência de ferro. Hipoalbuminemia foi encontrada em 16,6% da amostra. Houve remissão da HAS em 66% e do diabetes mellitus tipo 2 em 50%. O BAROS demonstrou melhora na qualidade de vida em 85,8% dos pacientes.
CONCLUSÃO: pudemos observar, em uma população com diversas limitações socioeconômicas, que a DGYR manteve resultados satisfatórios quanto à perda peso, mas o seguimento ineficiente pode comprometer o resultado final, especialmente no que diz respeito às deficiências nutricionais.


Palavras-chave: Obesidade. Cirurgia Bariátrica. Derivação Gástrica. Qualidade de Vida.

Copyright 2018 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões